segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Estilhaça-me


Título original: Shatter Me
Editora: Novo Conceito
Autor: Tahereh Mafi
Ano: 2012
Páginas: 302


Sinopse:
Tenho uma maldição(Tenho um dom)
Sou um monstro(Sou sobre-humana)
Meu toque é letal(Meu toque é poder)
Sou a arma deles(Lutarei contra eles)
Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser uma guerreira.



"Tudo que sempre quis era estender a mão e tocar outro ser humano não apenas com minhas mãos, mas com meu coração."


Um toque é algo tão simples que nem ao menos nos damos conta disso. Mas para Juliette, um toque significava muito mais. Tudo o que ela sempre quis foi ser tocada. E tudo que ela sempre fugiu foi do toque das pessoas.
Seu toque era letal.
Bastava que sua pele se encontrasse com a de outro alguém e algo terrível acontecia. Alguém sempre se machucava. Às vezes, alguém morria.

"Queria que isso me machucasse.
Queria que isso me mutilasse.
Queria que isso me anulasse.
Queria odiar a potente força que me envolve o esqueleto.
Mas não.Minha pele está pulsando com a vida de alguém e eu não odeio isso.
Odeio a mim mesma por desfrutar disso."

Já faz 264 dias que ela não toca ninguém.

Já faz mais de um ano que ela não vê a luz do sol.

Ela não se lembra da última vez que falou com alguém.

Juliette está presa num manicômio, onde tem direito apenas há uma refeição e um banho de vez em quando. Onde passou tanto tempo, que nem ao menos se lembra do seu reflexo no espelho.

"Pergunto-me se sou apenas uma sombra perfurada da pessoa que eu era antes."

Mas Juliette não é a pior coisa que existe no seu mundo.

Na verdade, seu mundo está morrendo. Envenenado, pelos próprios humanos. Lentamente a paisagem se modifica, os animas morrem, a fome aperta o estômago. O céu não tem a cor certa, os pássaros não voam mais. As pessoas estão tão desesperadas que chegam a comer animais envenenados, apenas para adiar a morte um pouco mais.
A ganância do homem matou o mundo.

A última esperança era o Restabelecimento.

Promessas foram feitas. Promessas sobre um mundo melhor, onde ninguém morreria de fome, onde ninguém jamais conheceria a dor ou a escuridão.

Em troca das promessas, o povo lhes deu tudo que havia sobrado.

Mas as promessas nunca foram cumpridas.

O Restabelecimento se apoderou do mundo e tirou tudo que havia lhes sobrado. 

"No entanto, mesmo que a saúde humana tenha encontrado um pouquinho de alívio sob o novo regime, no fim das contas morreram mais pessoas de uma arma carregada que de um estomago vazio. E está ficando pior."

E Juliette nem ao menos sabe o que sobrou do seu mundo. Ela está presa, sem chance de ver a luz do dia outra vez.

Até que as coisas mudam.

Ou melhor, até que Adam chega.

Sem explicações, alguém colocou Adam na mesma cela que Juliette. Ela nem ao menos sabe quem ele é. Ele nem a conhece. Ela acha que ele não se lembra dela.

Sim, Juliette conhecia aquele garoto que apareceu na sua cela de repente. Ela conhecia o garoto que a assustou no início, mas que na manhã seguinte fez com que ela parasse de tremer de frio. Ela já tinha visto o rosto do menino com quem conversou e contou seu nome. Ela se lembrava do menino que lhe fazia mil perguntas, mas que ela não queria responder. Porque ela não queria que ele tivesse medo dela.

No final das contas, ele não era o mesmo menino.

Ele agora fazia parte do Exército do Restabelecimento. Ele trabalhava para o lado inimigo. Ele agora era o inimigo.

O Restabelecimento aparece em forma de Aaron Warner. Um garoto que parece ser apenas mais velho que ela, mas que carrega mais escuridão do que qualquer um que ela tenha conhecido. Alguém que tem a morte estampada em sua cara. Alguém com quem não se deve brincar.

E ele faz uma proposta à Juliette.

"Não quero que você me odeie. Sou apenas seu inimigo porque você quis que eu fosse."

Ela deve se juntar à ele na guerra que se aproxima, como sua arma. Sua carta na manga. Ela torturará quem ousar enfrentar o Restabelecimento. E ele a convencerá que eles não são tão diferentes.
Afinal, os dois foram rejeitados. Os dois tinham poderes que muitos viam como desgraça. Os dois poderiam se vingar do mundo.

Mas Juliette não parece disposta a aceitar esse acordo.

Enquanto Warner a corteja e tenta fazer a cabeça dela, Juliette fica cada vez mais confusa em relação à Adam. O menino que ela sempre observou, que ela sempre admirou, parecia retribuir seus sentimentos. E ela não sabe o que sentir em relação à isso.
Adam parecia ver algo de bom nela. Uma coisa que ela nunca achou que pudesse existir. Ela não sabia que algo de bom poderia florescer de dentro de si.

"Você nunca pediu nada a ninguém. - ele finalmente encontra meus olhos. - Mas ninguém nunca lhe deu uma chance."



Esse foi um dos livros que mais me tocou. Todo o drama da história, a luta que Juliette trava consigo mesmo, tentando se aceitar, tentando se anular. É realmente forte. É extraordinário.
Nunca conheci nenhum livro que fosse sequer parecido com esse.

E não é apenas porque se trata de uma luta interna, uma luta que todos nós travamos consigo mesmos. Não.

É muito mais que isso.

Juliette cresceu sendo odiada. E ela entendia isso. Em outro lugar, ela também se odiaria.
Ela não que machucar ninguém, nunca quis. Tudo não passou de um acidente.
Ela não pediu pra nascer com esse poder. Ela não quis que ninguém saísse ferido. Mas aconteceu. E ninguém nunca lhe deu a chance de se explicar.

Seus próprios pais lhe renegaram. Preferiram dar a filha, não ter filha nenhuma, a ter uma que era vista como um monstro,

E isso a marca pra sempre.

"Talvez estivesse louca ao considerar isso, mas sempre tive a esperança de que, se fosse uma garota boa o suficiente, se fizesse tudo direito, se dissesse as coisas certas ou nada dissesse de maneira nenhuma... pensei que meus pais mudariam de ideia. Pensei que eles finalmente escutariam quando eu tentasse conversar. Pensei que me dariam uma chance. Pensei que poderiam, finalmente, me amar.
Sempre tive essa estúpida esperança."

Agora a parte que eu queria chegar, a escrita.

Primeiro, o que nos chama a atenção são as palavras tachadas. Essas palavras tolas palavras cortadas.

É genial.

Juliette sempre foi ensinada a se podar, a se anular, Ela sempre tinha que pensar se realmente deveria fazer aquilo, se era realmente necessário dizer isto. Ela sempre se diminuiu. Sempre tentou ser aceita.

Não sei se a autora fez isso consciente ou não. Acho que sim. Mas quando Juliette começa a pensar em algo e corta suas palavras, corta seus pensamentos, ela está se cortando. Cortando a sua essência.

Vemos ela fazendo isso o tempo todo. Tentando não pensar naquilo. Tentando não dizer o que queria.

E eu fiquei fascinada com a genialidade disso.

Além disso, ela é tão solitária. Tão desesperada para que alguém veja como igual.

Mas passaram tanto tempo lhe dizendo que ela era um monstro, que agora ela acredita.

Adam Kent

Assim como Juliette, eu fiquei extremamente confusa em relação à ele.

Sabia que ela o conhecia, a reação dela a entregou. Mas não sabia da importância que ele tinha para ela. E que continuou tendo. Ela se lembrava de tudo, mesmo que tenha demorado um pouco para nos entregar esta lembrança. Mas mesmo sem saber da história, eu já estava shippando esses dois.

Quando descobrimos que Adam era um soldado, que foi mandado exclusivamente para tentar arrancar informações de Juliette e para ver se ela era confiável ou não, meu mundo desabou.
Eu não conseguia acreditar que ele era o inimigo. Que o garoto que estava aprendendo a gostar, era na verdade falso. Uma atuação.

Mas depois ficamos sabendo que nada daquilo era verdade, que ele se importava sim com Juliette e o mundo volta a fazer sentido.

Aaron Warner

Este me despertou sentimentos contrastantes. 

Ele é de fato o inimigo. Está ali por um propósito e irá matar todos aqueles que passarem pelo seu caminho. Isso é um fato.

Mas em alguns momentos, em rápidos e minúsculos momentos, eu senti que havia muito mais que eu não sabia sobre ele. Senti que havia um passado, um passado tão escuro quanto o seu presente. E eu juro, eu senti uma leve vulnerabilidade nele.

Não sei se estava apenas projetando os sentimentos que eu esperava ver nele. 

Mas sei lá... sinto que há algo que explica Warner. 

Existem outros personagens tão memoráveis quanto esses, mas falar sobre eles seria entregar o final. E eu não vou entregar o final para vocês. Terão que ler para descobrir.

Mas se acharam esta historia surpreendente, vocês não viram nada. 

Meu queixo caiu à medida que a história avançava. Numa confusão de sentimentos, me vi numa situação inusitada. A originalidade da autora é assustadora.


Ah, mais uma vez sobre a escrita.

O jeito que a autora escreve, a leveza, a naturalidade, é de tirar o fôlego. Ela soube descrever cada cena, cada sentimento de forma pura. Sem tirar ou acrescentar.
Eu sentia como Juliette. Mesmo quando ela nem ao menos sabia o que sentia, eu compartilhava isso com ela.

E o jeito que a autora personifica tudo. Como cada objeto, cada ser abstrato vira um personagem, é totalmente apaixonante.


"O vento me envolve nos braços e sorri ante minha pele. O ar fresco e macio como a seda trança uma brisa suave por meus cabelos. Este pátio quadrangular poderia ser meu salão de bailes.

Quero dançar com os elementos."



"Estou flutuando na luz do sol."


Eu sempre falo apaixonadamente sobre os livros que eu leio. Porque cada livro que eu leio me toca de uma forma diferente. Cada livro me transforma, me edifica.
Mas a forma como eu senti esse livro, como ele me tocou, nenhum outro havia feito isso.

Foi como se fosse o meu primeiro livro. Como se eu estivesse sentido a maravilha da leitura pela primeira vez.

E agora estou triste e feliz. Triste porque acabou rápido. Feliz porque ainda tem mais livros. Feliz porque senti isso.

E pra quem ainda não entendeu a magia que esse livro faz, aqui vai uma ultima tentativa de convencê-los.

"Eles querem apagar todas as pontuações da minha vida nesta terra e eu não acho que posso deixar isto acontecer."

32 comentários:

  1. Olá
    Adorei poder conferir suas impressões, especialmente por ser de um livro que eu amo. As palavras tachadas são incríveis e intrigam demais. A autora ousou muito e acertou no desenvolvimento. Todos os personagens são incríveis. Me identifiquei bastante com suas impressões e fiquei até com saudada da história.. vontade de reler. E claro, nao posso deixar de afirmar que adorei sua resenha.. Boas leituras!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Acho o título do livro, forte, que dá vontade de conhecer a trama, mas por ser série, desanimo.
    Fiquei curiosa com as suas considerações sobre a obra e fiquei empolgada em ler!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bom?
    Comprei esse ebook a um tempo na amazon mas nunca o havia lido, simplesmente por não ter encontrado até agora uma resenha tão apaixonada como a sua. O carinho com o qual você falou desse livro me convenceu e me senti angustiada pela Juliette e seu dom indesejado. Não consigo imaginar como seria não poder abraçar ou encostar nas pessoas que se ama. Enfim! Sugestão mais que anotada! Em breve vou conferir essa distopia ^^

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    É incrível ver como essa leitura te tocou! E fico feliz porque ainda tem mais volumes.
    A luta interna que Juliette vive e todo o drama no decorrer da trama me deixa bastante curiosa, principalmente por causa de seu dom/maldição indesejada. Deve ser extremamente angustiante não poder ter contato com as pessoas que ama e isso me lembrou um pouco da Vampira de X-Men.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Sua resenha estão tão perfeita que até senti vontade de ler esse livro. Confesso que perdi o "time" e não consigo sentir mais vontade de ler.
    Acho a premissa muito interessante e como sou fã de distopia, sempre fico tentada.
    Gostei e acho que vou arriscar.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Oii!
    Tenho esse livro em ebook mas ainda não tinha lido, depois da sua resenha vou correndo ler..!
    Estava um pouco desanimada por ser série, mas pelo jeito vale a pena né? rsrs
    Beijos, Isa
    belacultblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Olá Camila,
    Li esse livro há bastante tempo e fiquei com sua história gravada na mente por meses. Recentemente li o segundo volume e foi muito emocionante voltar a esse universo. Esse livro me tocou como aconteceu com você e achei a ideia dele totalmente genial.
    Que vontade de reler esse livro para o resto da vida.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Eu sempre vejo esse livro nas livrarias, pego na mão e nunca comprei para dar uma chance para ele. Tem algo nele, que eu não sei o que, me incomoda nele.
    E como sei que é uma série, no momento já estou com muitas para começar.
    Talvez lá na frente eu dê uma chance para ele.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Você passou nessa resenha toda a sua paixão pelo livro e me convenceu. Estou com muita vontade de começar a leitura para descobrir o desfecho desse drama.
    Essa frase: "tudo o que sempre quis era estender a mão e tocar outro ser humano não apenas com minhas mãos, mas com meu coração", me cativou profundamente!
    Bjs,

    http://contosdacabana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Você passou nessa resenha toda a sua paixão pelo livro e me convenceu. Estou com muita vontade de começar a leitura para descobrir o desfecho desse drama.
    Essa frase: "tudo o que sempre quis era estender a mão e tocar outro ser humano não apenas com minhas mãos, mas com meu coração", me cativou profundamente!
    Bjs,

    http://contosdacabana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi lembro da época que essa série era um frisson, lá eu sentia mais vontade de fazer a leitura, infelizmente o tempo foi passando e eu acabei não a fazendo e junto com o tempo a vontade de ler foi esmaecendo, hoje em dia eu até leria, mas não tenho mais tanto anseio, mesmo assim gostei muito da sua resenha, você elucidou pontos muito relevantes, beijos
    Conversas de Alcova ♥

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Eu conhecia esse livro e há muito tempo atrás fiquei morrendo de vontade de ler, mas o tempo vai passando e a gente acaba esquecendo, não é? Mas concordo com você que é um livro totalmente diferente do que eu já li e a vontade de ler voltou com força após a sua resenha.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Esse nome é muito chamativo e ao ler sua resenha fiquei bem interessada na obra. Adorei ler sua opinião e que ótimo que o livro tenha te tocado de forma tão profunda, sem dúvidas assim que tiver oportunidade irei lê-lo.
    http://www.virandoamor.com/

    ResponderExcluir
  14. oie adorei essa resenha, eu já tinha ouvido falar desse livro mas nunca tinha parado para saber do que se trata, mas me chamou muita atenção isso de a pessoa ter o poder de fazer algo só com o toque, e todos os sentimentos conflitantes de rejeição que a personagem sofreu devem ser muito duros. Quero ler para ontem

    ResponderExcluir
  15. Olá,

    Li esse livro no ano passado e me diverti muito com a história. Aliás mordi a língua, porque não gosto dessa capa, mas o conteúdo é espetacular. Confesso que não dei prosseguimento a história, mas com a sua resenha, bateu uma nostalgia e estou com vontade de voltar a dar uma chance a essa série. Parabéns pela excelente resenha.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  16. Oi Camila, tudo bem?
    Já muitas resenhas desse livro, mas ainda não tinha ficado interessada. Mas sua resenha chamou bastante a minha atenção. E o modo como o livro foi escrito parece genial mesmo. Mas confesso que não curti uma coisa ;( O fato de você ter dito que no começo achava que o menino era bom, depois descobriu que era inimigo e depois que não era mais isso. Confesso que vejo isso como um spoiler. Eu gosto de ser trolada, então não gosto quando me contam muito do enredo hahahaha
    Mas o livro é muito mais do que isso, claro, só estou comentando :)
    Beijoos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá, Camila

    Li esse livro em 2014 se não me engano e não gostei não. Sei que você achou legal o artifício das palavras riscadas, mas eu achei extremamente irritante. Também não gostei das repetições de palavras e outras coisas, não foi uma boa leitura.
    Curiosamente a única coisa da qual gostei nesse livro foi o Warner! hahaha

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá, Camila! É maravilhoso quando um livro nos toca assim, não é? Acho mágico! <3
    O título me chama muito a atenção, e apesar de não me interessar muito pelo gênero, percebo que é um livro bem desenvolvido. Com certeza agradará a muitos leitores!
    Parabéns pela resenha!

    Bjs
    Yohana Sanfer
    http://www.papelpalavracoracao.com.br/

    ResponderExcluir
  19. A história realmente me parece original e já tinha uma leve curiosidade a cerca do livro. Não sei se leria em breve, mas é uma dica super válida. A premissa é interessante e fiquei super curiosa a respeito dessa personagem, toda essa luta interna, essa luta pra ser aceita, quero muito conhecer a história dela. Ótima dica, beijos.

    ResponderExcluir
  20. Uau,
    eu tenho muita curiosidade em relação a esse livro. Como surgiu esse poder? Como ela lida com ele? A escrita da autora parece ser do tipo que quem não ama, odeia e vice versa. Eu nunca li uma distopia mas imagino que seja um livro muito tocante, com a carga emocional na medida certa e ação e tudo mais.
    Ótima resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  21. Gostei do enredo e fiquei curiosa quanto a esse poder da personagem e como ela ahe diante dele, imagina não poder tocar ninguém? Espero que a minha experiência de leitura também seja positiva e que também ache a escrita fluida e genial, na medida certa para o livro.

    ResponderExcluir
  22. Prometi pra mim mesma que só leria esse livro quando completasse a série... Ela se completou e eu ainda não comprei o ultimo volume. Daí, vejo uma resenha, fico a chorar, pois devo ser a unica que não leu! Amei a resenha, foi bom pra puxar minha orelha. rsrsrs
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  23. Li esse livro assim que foi lançado e fiquei completamente fascinada. Também achei genial essa coisa das palavras cortadas, combinam perfeitamente com o estado da Juliette mesmo. A autora realmente escreve com muita leveza e descreve bem as cenas e os sentimentos, ainda não consegui terminar a leitura da série porque tenho certeza que não vou gostar do final, rs, senti isso quando conheci a autora, mas ainda farei isso.

    ResponderExcluir
  24. Olá, adorei sua resenha, confesso que não queria ler esse livro, mas a minha tia me deu de presente o terceiro livro da série KK, dai fui obrigada a ler os dois primeiros não é mesmo ? parece ser um livro super legal e fascinante e não vejo a hora de começar a leitura

    ResponderExcluir
  25. Oiii!
    Gente, Tahereh Mafi é uma autora que eu sou louca pra conhecer! Já vi tanta gente falando bem sobre ela e sobre essa série em especial que, SENHOR! Preciso pra ontem! haha
    Adoro toda a ideia desse livro e fiquei encantada com a sua resenha!
    A única coisa que me deixa um pouco chateada é o fato de as capas da trilogia inteira serem diferentes. Se não me engano, o último livro da série não tem um correspondente com a menina da capa, não é? Acho que até o segundo talvez não tenha também.
    Uma infelicidade, mas acho que não diminui o quão lindo esse livro deve ser!
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  26. Olá!
    Eu li esse livro já tem um bom tempo e pra mim foi uma das melhores distopias que já li. Devorei o livro e me senti cativada pelos personagens. Ainda não tive tempo de ler os outros livros, mas pretendo fazer ainda esse ano.
    Amei a sua resenha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  27. Eu adoro esta trilogia!!! A única coisa que eu não gostei neste livro, mas que entendi os motivos de estar assim, foi justamente estes cortes nos pensamentos de Juliette. Isso que incomodava na hora de ler, mas como disse, entendi os motivos da autora ter feito isso, e você aqui, até explicou de forma mais simples para quem não leu ainda.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  28. Olá.

    Já ouvi falar muito bem dessa trilogia, mas ainda não tive oportunidade de ler. Agora lendo sua resenha fiquei com uma super vontade, pois eu amo livros com esse tipo de temática. Fico feliz q vc tenha gostado da leitura e espero ler em breve.

    Beijos!
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  29. Olá, como vai? Li esse livro há um tempinho atrás e amei. Adorei a leitura e recomendo para todos aqueles que curtem distopias, é um livro envolvente que faz você mergulhar por inteiro na leitura. Adorei sua resenha, me relembrou a história.
    Beijos.


    EuVocê&oslivros

    ResponderExcluir
  30. Olá...
    Confesso que nunca tive interesse em ler esse livro, porém, ao ler seus excelentes comentários estou decidida em embarcar nessa história.
    Valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  31. Olá Camila,
    Estou maravilhada. Vejo esse livro a anos e gosto muito da capa, mas sempre tinha outras prioridades.
    Amei sua resenha, sua paixão pelo livro transborda pelas suas palavras e estou fascinada e curiosa por esses três personagens. Adorei esse detalhe das palavras tachadas.
    Dica anotada.

    Beijos,
    Anne
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  32. Gosto muito dessa capa e as dos outros livros. quando foram lançados eu fiquei em cólicas querendo comprar pra ler, com o tempo eu fui perdendo o interesse e tinha até esquecido, e agora lendo a sua resenha me animei de novo e estou muito curiosa para conhecer essa história. Ótima resenha.

    bjs

    ResponderExcluir

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais