sábado, 16 de julho de 2016

George Orwell

Olá, olá!

Esse sábado ta meio muxoxo, cinzento e sem graça. Tão monótono. Ainda bem que isto está prestes a mudar, já que vamos falar agora sobre George Orwell!

Sim, meus queridos. Achou que só leitor da atualidade ia aparecer aqui? Haha. Claro que não. Vamos ter alguns escritores mais velhos sim, ora essa!




"Quando me sento para escrever um livro, não digo para mim 'vou produzir uma obra de arte'. Escrevo porque existe alguma mentira para ser denunciada, algum fato para o qual quero chamar a atenção, e penso sempre que vou encontrar quem me ouça."

Tenho certeza que você já ouviu falar sobre George Orwell pelo menos uma vez na sua vida. Seja na aula de história, filosofia ou literatura ele sempre é lembrado por suas obras marcantes e revolucionárias.

Revolução dos Bichos e 1984, suas mais famosas obras, tiveram até filmes.

Mas e se eu te contar que o nome de batismo dele era Eric Arthur Blair? Isso mesmo. George Orwell era apenas um pseudônimo.

Eric nasceu em Mothiaria, na Índia ainda sob domínio dos ingleses. Como seu pai, oficial da marinha, tudo indicava que seguiria neste caminho e, de fato, aos dezoito anos serviu a Polícia Imperial Indiana,na Birmânia em 1922.

Entretanto, da uma olhada no que ele escreveu em 1927:

“Servi na polícia das Índias durante cinco anos, ao longo dos quais passei a odiar o imperialismo, que eu próprio servia, com uma força que ainda hoje eu não sei explicar.”

Seu período na polícia acabou por virar o livro intitulado Dias na Birmânia, que só foi publicado em 1934.

Depois de desertar, Eric voltou para a Inglaterra decidida a não mais colaborar com a política da qual discordava. Isso inclui abandonar o modelo de vida aristocrática. Nasce ai George Orwell.
Tinha como referências Charles Dickens e Zola.

Orwell começa a trabalhar numa fábrica em Paris e depois, em Londres, como professor de uma escola primaria. Com essa experiência, escreveu Na Pior em Paris e em Londres, onde relata a miséria e a desigualdade que sentiu na pele. Escreveu ainda A Filha do Reverendo e depois O Caminho para Wigan Pier.

Em 1936, ano em que publicou O Vil Metal, se inicia a Guerra Civil Espanhola e Orwell se une ao grupo antifascista em Barcelona.

“Naquela época, e naquela atmosfera, isso pareceu ser a única coisa que podia fazer.”

Ele chegou a ser tenente, mas deu baixa após um ferimento na garganta por uma bala. E, ainda bem, não teve consequências graves.

Voltando a Inglaterra, publicou Uma Homenagem à Catalunha (ou Lutando na Espanha) em 1938.
Um tempo depois, acaba contraindo tuberculose e viaja para Marrocos onde escreve Coming Up For Air (Um Pouco de Ar Por Favor), em 1939.

Neste mesmo ano, se inicia a II Guerra Mundial e Orwell, que já era conhecido e editor do Labour Weekly Tribune, passa a escrever para alguns jornais e a BBC como The Observer.

Orwell, que era um simpatizante do comunismo, começa a se descontentar com os rumos que sua ideologia tomava. Isso, claro, rendeu mais livros como Inside the Wale, Critical Essays, Shooting na elephant. Mas foi em Animal farm (Revolução dos Bichos) que ele escancara sua crítica.


Seu ultimo trabalho foi 1934. Em 1950, Orwell é vencido pela tuberculose.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais