segunda-feira, 20 de junho de 2016

Quem é Você, Alasca?

Olá!

Antes de mais nada, acho que deu pra perceber que eu acabei não postando nada no sábado. Pois é! O fim de semana foi bem corrido pra mim e quando cheguei no sábado a noite só passavam duas coisas pela minha cabeça: banho e cama.

E olha que eu ainda cheguei cedo, hein!

Hoje foi igualmente agitado, mas eu não podia deixar de trazer conteúdo pra vocês outra vez. Por isso aqui estou. To cansada? Sim. Com sono? Com certeza. Mas o que importa é que eu to aqui.



Essa ultima semana que se passou acabou trazendo uma notícia meio chata para nós do universo literário. John Green declarou em seu twitter, e logo depois no tumblr, que não haverá nenhuma adaptação de Quem é Você, Alasca?.

Muitos ficaram chocados, outros tristes e teve também quem ficou até feliz, dado o histórico que o cinema tem em ferrar não saber retratar direito nossos tão queridos livros.

Por isso, em honra e homenagem ao nosso tão querido livro, vamos cancelar a programação de hoje e resenhar Quem é você, Alasca?





Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez".

Todo mundo que já leu mais de um livro do John Green sabe que ele é um escritor, digamos, peculiar. Na verdade só de ler um livro você já percebe que ele é diferente. Já falamos um pouco sobre ele antes, se você não viu clique aqui.
Nosso tão adorado João Verde tem como hobbie acabar com todos os padrões e paradigmas já definidos pela sociedade. Sim, meus amigos. Nada de um final feliz como Nicholas Sparks adora. Os livros de Green são realistas, quase beirando ao pessimismo. O que não deixa de nos encantar, não é mesmo?

Quem é Você, Alasca? não é diferente.

Narrando a história de Miles "Gordo" Halter, ele narra também a sua, a minha, a nossa história. Como assim? Ele conta a história de um jovem sem amigos, anti-social, totalmente esquecido e sem nenhuma história emocionante para contar. Como não se identificar, não é mesmo?

Miles tem uma característica peculiar, é claro. A sua pode ser caçar insetos, assim como a minha é se alimentar de livros. Miles coleciona ultimas palavras.

Hã?!

Não entendeu? Esse grande garoto franzino gosta de ler biografias, mas se interessa mesmo é pelas ultimas palavras dos famosos célebres.

Emocionante, não?

Mas é por causa de seu vício que ele decide ir para um colégio internato, o mesmo que seu pai frequentou com sua idade.

"Saio em busca de um grande talvez."

E é ai que o jogo muda de figura!

Neste internato Miles conhece o General, quem o apelida de Gordo por sua falta de massa corporal. Também conhece Alasca, a melhor e mais bem desenvolvida personagem até então. Não é tietagem não,ok? Talvez um pouco. Mas a Alasca é complexa, Tão complexa que nem ela mesma se entende ou se conhece. Assim como todos nós, é claro.

Alasca é totalmente o contrário de Gordo.Enquanto o menino tem medo de pisar no acelerador, sempre dirigindo devagar e cauteloso, Alasca manda o foda-se (com o perdão da palavra) e acelera sem medo. E é aqui que eu digo que melhor combinação não poderia existir,

Conhecendo General e Alasca, Gordo começa a se desfazer de suas amarras e faz aquilo que eu acho que todo adolescente deveria fazer: passa a se auto conhecer.


"Vamos fazer um acordo: você descobre o que é o labirinto e como fazer para sair dele, e eu lhe arranjo uma transa."

Ora, não estou dizendo pra você se drogar. Longe disso. Mas você tem que concordar comigo que só dá pra saber daquilo que gostamos ou não quando provamos. Afinal só se é adolescente uma vez. (Mas vamos com calma, ok?) E é isso que Gordo faz. Ele começa a provar um pouco do perigo, da sensação de contar com alguém e, é claro, das bebidas e do cigarro.

O livro é narrado em forma de dias, numa contagem regressiva para um grande acontecimento. Por isso é dividido em duas partes: antes e depois. Não vou contar o grande acontecimento, é claro. e você que quer dividir esse spoiler se controle e espera a vez do amiguinho. Às vezes os dias são consecutivos, e outras há um grande espaço entre eles. Mas o livro é totalmente dinâmico e viciante. Eu mesma terminei ele em questão de horas, o que me rendeu um pequeno arrependimento depois.

Mas eu quero chamar atenção aqui para Alasca.

"Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão."

Não importa se você gosta ou não. Você tem que concordar comigo que ela é um grande ponto de interrogação, um enigma que todos nós queremos desvendar. E é ai que Gordo peca. Depois que ele a conhece, passa a tentar entendê-la com todas as suas forças. Cada pequeno ato dela gera um grande questionamento e isso,para mim, foi o seu erro. Alasca é complexa, eu já disse. Ela oscila em bons e maus hábitos. É viciada em cigarros, mas quer ensinar crianças. Bebe, mas tem a biblioteca de sua vida, cheia de livros que já leu e deseja ler. É alegre e festiva, mas tem seus momentos em que cede aos seus traumas. É impulsiva, mas muito reflexiva. Ela muda a todos, mas muda a si mesma constantemente.

"Sabe quem você ama, Gordo? Você ama a garota que faz você rir, que vê filmes pornô e bebe com você. Mas não a garota tristonha, mal-humorada e maluca."

Eu te desafio a ler este livro e não mudar pelo menos um pouco depois de conhecer essa garota.

Ah, quase ia me esquecendo da grande obsessão de Alasca. Ao saber do vicio mórbido de Gordo, ela o conta que em um livro que leu, ao perceber que iria morrer, um personagem diz a seguintes palavras: Como sairei deste labirinto?
A garota fica intrigada e pergunta para Gordo à que o personagem se referia, à morte ou à vida? É claro que ela não obtém nenhuma resposta, isso quem deve responder somos nós, leitores. E ai, o que vocês acham?


"Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente."

Alasca você é o furacão que passou em minha vida, mudando tudo de lugar e deixando para trás mais dúvidas do que certezas, mais felicidades do que tristeza.

E você, quer saber quem é Alasca?


"Tudo que é construído termina por desmoronar."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais

Titulo do slide...

Aqui voce vai colocar o conteudo ou falar sobre seu artigo relacionado a imagem do lado

Leia mais