terça-feira, 25 de abril de 2017

{Desafio a.k.a Projeto } Escrevendo Sem Medo

Olá amoras, tudo bem com vocês? Eu estou muito bem, obrigada.  E hoje vim falar sobre algo maravilhoso com vocês: O Desafio a.k.a Projeto Escrevendo Sem Medo.

Já falamos sobre esse projeto aqui antes e já fiz duas tarefas dele. Estou meio atrasada, já que não realizei o desafio de março. Até agora. Hoje resolvi juntar o de março e o de abril e compartilhar com vocês o resultados.

Vamos lá?


  • Março: Um pássaro engaiolado ganhando a liberdade.
Como é se sentir assim? Você também pode comparar as sensações (a sua e a do pássaro) de encontrar a liberdade. 



Meus olhos estão bem fechados, quase nenhuma luz passa por eles. Só vejo sombras, mas elas parecem mais iluminadas do que nunca.  Imagino que quando se passa tanto tempo no escuro, seja isso que aconteça. Meus braços estão abertos, separados do meu corpo esguio. Estão se preparando.

Há um frio na barriga,  um certo desconforto. Não sei do que chamar essa sensação que me invade e me deixa enjoada, ao passo que agita todas as minhas células e me faz transpirar. Medo? Excitação? Ansiedade. É isso que minhas veias carregam agora, um turbilhão de substâncias químicas escolhidas a dedo para que eu ansei por esse momento.

Mas mesmo que meu corpo fosse defeituoso,  mesmo que não sentisse nada, ainda assim sentiria essa ansiedade.

Abro os olhos devagar, meu coração aos pulos em meu corpo. Ele parece se agitar ainda mais, como se quisesse sair da minha caixa torácica, assim que meus olhos vem o que tem a minha frente.

Um nada.

O céu é azul tão claro que temo estar sonhando. Mas assim que a brisa bagunça meus cabelos e agita as folhas das árvores, sei que isto é real.

Torno a fechar os olhos e não penso, não hesito, me jogo.

O vento passa rápido por mim, minha pulsação explode no meu ouvido. Sinto o ar se mover, passar por meus dedos, braços, meus cabelos.

Me sinto como um pássaro que passou tempo demais engaiolado, quase como se tivesse esquecido de voar. Mas não esqueci.

Antes que eu chegue ao chão, minhas asas se abrem. Minhas penas se aprumam,  se arrumam, se soltam. Bato as forte e pego impulso. Plano no ar.

O vento sopra em meu rosto, como se dissesse "Olá de novo. Há quanto tempo." e eu sorrio em resposta. Abro meus olhos e vejo o sol bater no meu rosto, acariciar e a minha pele. Ao meu lado pássaros passam por mim e me olham como se me cumprimentasse. 

Meu sorriso se alarga e agora eu sei... Achei o meu lugar.



  • Abril: Um fato sobre mim para cada aniversário.
 Você irá escrever uma lista. Se eu tenho 21 anos de idade, então vou escrever 21 fatos aleatórios – talvez interessantes – sobre mim.



1. Essa é primeira vez que digo a minha idade a vocês e será a última.  Detesto falar sobre ela porque sempre acham que eu sou muito nova e blá blá blá

2. Sonho em ser escritora desde que tinha dez anos, a mesma época em que me apaixonei por livros, e por isso resolvi unir o útil ao agradável e criar esse Blog.

3. Nunca acho que meus textos estão bons, nem mesmo os posts que faço aqui. Por isso criei a coluna sobre escritores amadores. Todas as dicas que dou lá, é apenas um reforço para mim mesma.

4. Meu gênero favorito de livro é romance. Mas quando falamos de filme, sempre prefiro suspense

5. Tenho um livro já finalizado, mas continuo achando que falta algo. O fim definitivamente não me agradou e por isso ainda não o soltei no mundo. Ainda

6. Morro de medo de altura. Ano passado tive a conquistar de andar de roda gigante sem chorar como uma criancinha, mais ainda não me sinto preparada para desafios maiores.

7. Sonho em pular de paraquedas.  Contraditório não?

8. Não vivo sem música. Seja para relaxar, dançar ou ler um livro, sempre estou acompanhada de uma boa playlist. Já disse isso aqui antes, mas preciso repetir porque vocês ainda não entenderam a intensidade do meu amor por música.

9. Morro de vontade de aprender a tocar violino. Poucas pessoas sabem disso

10. Um dos meus livros favoritos é Orgulho e Preconceito, mas nunca cheguei a resenha - lo.  Morro de medo de não passar a profundidade do que esse livro é para mim.

11. Ao contrário da maioria das pessoas,  sonho em viajar mesmo para Roma. Imagina que lindo e surreal seria estar em contato com o que sobrou daquela que um dia foi o berço da civilização

12. Já fui fanática por doctor who, uma série britânica de ficção científica. Era considerada nerd esquisita por isso, mas não ligava. Apenas queria assistir todos os episódios possíveis e decorar as falas. Foi a época mais feliz da minha vida.

13. Sou dessas que dançam como se ninguém tivesse olhando. Me julgue.

14. Minha cor favorita é azul. Azul escuro.

15. O lugar que mais amo no mundo é a praia e me dói saber que fazem mais de 4 anos que não vou em uma.

16. Digo que escolhi psicologia pra entender as pessoas, mas na verdade é que quero me entender mesmo.

17. A minha brincadeira preferida quando criança era pique - esconde.  Adorava quando a brincadeira acabava e ninguém tinha conseguido me achar.

18. Morro de vontade de fazer uma tatuagem, mas me faltam duas coisas: dinheiro e coragem pra enfrentar meus pais no dia seguinte.

Sim, eu tenho dezoito. Podem começar com "aí,  mas você é tão nova".

Enfim, gostaram?  Podem ser sinceros e crítica à vontade, desde que com bom senso. Quero saber a sincera opinião de vocês.

Por hoje foi só, mas fiquem de olhos bem abertos e continuem comigo.  Como eu disse, há uma surpresa a caminho.

Um beijo e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário