segunda-feira, 27 de março de 2017

{Resenha} O Diabo Veste Prada

Olá amoras! Como estão? Eu estou muito bem, obrigada. Um pouco cansada? Sim. Mas acontece.

Já expliquei aqui antes o quanto a minha vida vem sendo corrido e venho mais uma vez pedir paciência. Estou fazendo o maximo que posso para trazer conteúdo de qualidade para vocês, mas nem sempre isso acontece. Com o tempo a gente vai se arrumando e tudo fica bem outra vez.

Agora vamos sem mais delongas para a resenha de hoje: O Diabo Veste Prada.








Título: O Diabo Veste Prada


Autor: Lauren Weisberger
Editora: Record
Edição: 2
Ano: 2007
Páginas: 400
Tradução: Ana Luiza Borges
Sinopse: O mundo da moda não é para iniciantes. Especialmente em Nova York. Mas a jovem Andrea Sachs, recém-saída da faculdade, consegue ser contratada como assistente de Miranda Priestly, lendária e temida editora da revista Runway. Miranda faz da vida de seus subordinados um pesadelo permanente. Logo no primeiro dia, Andrea percebe que seu trabalho na revista será atender aos caprichos da chefe. A autora Lauren Weisberger valeu-se de sua experiência pessoal para escrever este romance divertido e saboroso. Grande sucesso que virou filme com Meryl Streep e Anne Hathaway nos papéis principais.


Quem não conhece o filme homogêneo onde estrelam nada menos que Meryl Streep e Anne Hathaway? Inúmeras vezes eu o assisti, algumas na sessão da tarde mesmo, e sempre me diverti horrores com toda a esfera humorística que ele trazia. Por isso me prôpus a ler o livro que originou tudo isso.

E que diferença.

Todo mundo já está careca de saber que um livro é diferente de um filme, por isso o nome adaptação. Não tem como, é inviável transformar tantas cenas num filme de 2h30 (em média), por isso algumas mudanças são necessárias.

Tenho que dizer que, de certa forma, conseguiram criar uma adaptação bem fiel. Mas não sei se por algum erro ou por se tratar de uma plataforma muito intíma (estamos falando de entrar no pensamento de alguém, pelamor), eu senti muito mais o drama no livro do que no filme. Acredito eu que ambos os motivos que acabei de falar são verdadeiros: o filme se preocupou muito mais com a parte humorística, e ao ler eu praticamente me senti como a Andrea. 

 Algo que gostei bastante foi a construção dos personagens. Temos uma verdadeira tribo, cada um com suas peculiaridades. Andrea, por exemplo, é uma garota comum que tem como sonho se tornar escritora, por isso se formar em jornalismo. Assim que ela termina o curso, passa a procurar um emprego e por acaso (chame de destino ou sorte) consegue uma entrevista na revista Runway. O que parecia um sonho se torna um pesadelo, chamado Miranda Prietsly

Miranda é simplesmente a pior chefe de todas. Não se enganem com o filme não, apesar do maravilhoso trabalho da Meryl Streep (como sempre), as atitudes da chefe foram muito suavizadas. Andrea é praticamente uma escrava, tendo de fazer pequenas tarefas, como separar roupas pra lavanderia, buscar a cadela no veterinário e coias assim, desde procurar uma cômoda ou uma resenha de um restaurante com poucas informações ("estava entre a 60 e a70" "vi no jornal de sábado") e no fim as instruções estarem totalmente erradas (na verdade era na 59 e o jornal não era nenhum dos inúmeros que Miranda exigia no seu escritório). Miranda é totalmente autoritário, gosta de humilhar Andrea e sequer a chama pelo nome correto, numa prova de que a assistente é tão descartável que sequer tenta aprender seu nome.

O livro é uma crítica é indústria de moda que exige que as mulheres estejam sempre magerrímas, lindas e bem vestidas. Não foi uma e nem duas vezes que Andrea ouviu as colegas de trabalho brigando para descobrir quem estava acima do peso, quando no fim todas eram bem mais magras que ela. Emily por exemplo, a assistente-sênior, come apenas salada e recrimina as sopas calóricas da colega. Isso quando elas comem, pois as tarefas são tantas e tão impossíveis que não é raro elas terem que se revesarem ou simplesmente não comer. E estou falando de um trabalho que começa as 6 e só acaba as 9 (oficialmente, já que muitas vezes elas fazem serão).

A leitura é bem divertida e tenta acompanhar a vida de Andre dentro da revista e fora dela, mostrando como ela conciliava o emprego com os amigos, familiares e o namorado. Não preciso nem falar que isso não foi possível. Miranda sugava todos os minutos da garota, enchendo-a de ligações e tarefas, que não foram raras às vezes em que Andrea teve que cancelar um compromisso com alguém.

O fim do livro é uma reviravolta bastante diferente daquela que encontramos no filme, mas igualmente divertida e ao mesmo tempo reflexiva.

Ah, pra quem não sabe, o livro foi baseado na experiência pessoal da própria autora que também teve um chefe horrivel. Agora nós basta tentar descobrir se ela suavizou a história ou exagerou...

Todo o livro nos faz pensar em até onde vamos para conseguirmos o que queremos, e até onde deixamos que outra pessoa controle a nossa vida. Tudo que Andrea queria era trabalhar apenas um ano para Miranda e assim aprender algo e entrar mais rápido no The New Yoker. Mas o que era pra ser um atalho, acaba parecendo muito mais longo do que é, por causa das tarefas e do tratamento da chefe. E o pior é que parece que apenas Andrea enxerga o quanto isso é abusivo, ou o quanto ela está fazendo aquilo para conseguir seu sonho, e não porque é divertido (no caso dos amigos e da família, que não vê com bons olhos o trabalho da jovem). Emily vivia para defender a chefe, repetindo numa espécie de mantra que Andrea devia se sentir privilegiada por trabalhar com Miranda e que a chfee era assim e tinha direitos de ser, já que era famosa e prestigiada.

Outros pontos que gostei foi a escrita fluida. Mas tenho que mencionar que são tantas referências à modistas, marcas de grife, revistas e etc que me senti perdida por um segundo. Algumas descrições eram detalhistas de mais, de modo que eu praticamente pulava. Afora isso, o livro me prendeu do início ao fim.

Indico a leitura para todos.



16 comentários:

  1. Hum ,está aí um livro que há muito eu gostaria de ler e você aguçou ainda mais essa minha vontade. Assim que possível é isso que eu irei fazer. Gostei muito da sua resenha.

    ResponderExcluir
  2. Eu li este livro muitos anos depois de conferir o filme e alguns detalhes eu tinha esquecido, porem o livro, como você falou, nos coloca dentro da cabeça das personagens. Encontramos uma Miranda muito mais cruel e percebemos o quanto da vida da Andrea é mais recheada de coisas. Eu adoro esse livro e quero ler mais coisas da autora.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Camila!
    Eu adoro o filme, mas nunca tive a chance de ler o livro. Com certeza devem ser ambos bem diferentes. Gostei de saber que o livro trás muito mais drama do que humor. Aconteceu a mesma coisa com "Simplesmente Acontece" e "Duff". Acho que a produção dos filmes não gosta de apelar mais para a parte dramática do livro. :/ Uma pena.
    Não sabia que o livro tinha base em um fato real da autora!!! :O
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  4. Oii!
    então,eu nunca li o livro e nem vi o filme,sinceramente não acho atrativo o enredo,apesar do filme demonstrar ser bastante divertido,pela sua resenha,pude perceber que o livro se trata de uma grande critica ao exigente mundo da moda,parece ser legal,mas ainda sim não me sinto inclinada a ler ele,quem sabe um dia rola,né? rsrs

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Eu quero MUITO ler esse livro, pois amo o filme, amo a Meryl, a Anne, a Emily <3
    Eu imaginei mesmo que Miranda deveria ser muito pior literária do que cinematográfica, mas não imaginava que era TANTO assim! Crus credo, nem que fosse Srta. Streep em pessoa! Hahaha

    ResponderExcluir
  6. Oi Camila, tudo bem?
    Não fazia ideia de que o filme havia se baseado em um livro e agora estou muito interessada em ler. Adorei saber que ele faz uma crítica à indústria da moda que sempre exige que as mulheres estejam muito magras e isso não é nem um pouco saudável para as pessoas e sociedade em geral, já que elas entendem aquilo como padrão de beleza e isso é praticamente inatingível para a maioria, o que faz muita gente se sentir um lixo. Não sabia também que a autora passou por algo parecido do que se passa no livro, de ter uma chefe horrível, e achei bem legal ela colocar um pouco de sua experiência para dar forma à história.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    O filme "O Diabo veste Prada" é um de meus preferidos da vida, pois ele faz o telespectador pensar demais. A ideia o livro é ainda mais interessante, principalmente, por podermos entrar na cabeça dos personagens e conhecê-los com mais profundidade, tanto seus pontos negativos quanto os positivos.
    A experiência de ler esse livro deve ser fantástica e espero vivê-la.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie...
    Adorei sua resenha ;)
    Confesso que me desanimei um pouco em relação a esse excesso de descrições sobre assuntos de moda, porém, sou apaixonada demais por esse filme, já devo ter assistido umas 100 vezes, e com certeza vou querer ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi oi! Assisti o filme há bastante tempo, mas lembro bem da imposição da sociedade em relação aos termos de beleza feminina. Acho legal a forma divertida de como tratam o assunto e não sabia que há o livro que baseou o filme. Como sabe-se, livros e filmes devem ser julgados de forma peculiar, já que são bastante únicos em sua criação.

    ResponderExcluir
  10. Oie! Tudo bem?

    Se tem um livro/filme que nunca me chamou a atenção é esse, sempre leio criticas muito boas tanto do livro como do filme, mas infelizmente não é para mim! Mas fico feliz de saber que ele é bem divertido e de todas as criticas que ele carrega em suas páginas!

    Bjss

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu sou apaixonada por essa adaptação, toda vez que está passando na televisão eu sou obrigada a assistir hahahaha Não sabia que a história era baseada em uma experiência da autora com seu chefe, e espero que ela tenha aumentado um pouco os acontecimentos, porque ninguém merece uma chefe que nem Miranda.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá! Eu nunca gostei desse filme, mas de repente o livro possa me cativar mais.
    A ideia que o livro tenta passar é excelente, uma pena que a história na telinha não tenha (na minha opinião, claro) passado isso de uma forma interessante.

    Bjs

    Pipoca com Café

    ResponderExcluir
  13. Esse livro é incrível, já assisti o filme e li o livro. Gostei bastante.
    bjuxxx
    www.taayvargas.com

    ResponderExcluir
  14. Ola!!
    Nunca li esse livro, mas assisti ao filme e acho ele sensacional!
    Que bom que no livro fica ainda mais explícita a crítica à indústria da moda e dos corpos perfeitos, além do tratamento horroroso de Miranda com suas funcionárias.
    Com certeza tenho vontade de ler esse livro!
    Um beijo

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  15. Nossa, não sabia que existia um livro do filme que tanto amo e que já vi inúmeras vezes. Fiquei bem curioso com essa reviravolta diferente que o livro tem, já que o final do filme já me encantou por demais. Feliz que a escrita seja fluída e agradável assim como acontece no filme. Vou já buscar ele para ler.

    ResponderExcluir
  16. É engraçado este foi um dos poucos livros que vi o filme e não me interessei pelo livro.
    Isto raramente acontece comigo
    Fiquei bem intrigada com tua resenha pelas reviravoltas que vc falou que ocorre no livro que são diferentes do filme.
    Não sei se coloco em minha lista de leitura futura rsrs
    Mas quem sabe rs

    ResponderExcluir