terça-feira, 25 de outubro de 2016

5 Esteriótipos que você deve evitar

Antes de mais nada, preciso mencionar aqui quem me motivou a escrever sobre esse tema tão polêmico. Paulo, meu melhor amigo! Tão polêmico quanto esse post, é com esse garoto que tenho as melhores discussões sobre os temas mais variados.
Como sempre, hoje estávamos falando sobre um dos esteriótipos que foi abordado aqui e eu meio que me peguei pensando em todo esses pré-conceitos que a literatura insiste em trazer.
Ah claro, ele também me ajudou a desenvolver os outros esteriótipos.
Paulão, esse post é pra você!


Olá pessoinhas!
Sentiram a minha falta? Ah, eu sei que sim. Nem adianta fingir. Já somos íntimos demais para isso.
Bom, eu senti.

Como já faz um tempinho que a gente não se fala pensei em voltar com um tema bem de leve, bem gostosinho de ser discutido. Mas vocês me conhecem. Eu não sou mais visita, já sou de casa. Por isso já vou entrando, abrindo a geladeira e me jogando no sofá. Ah, e com certeza vou botar meus pés na mesa.



Então esqueçam o tema super de boas. Hoje eu vim pra falar sério. Então pode começar a prestar bastante atenção.

Como eu já disse várias vezes nessa coluna, não sou uma profissional. Não tenho dezenas de livros publicados (ainda) e muito menos um contrato com alguma editora. Tampouco estou nesse mundo como escritora independente.

Assim como muitos de vocês, sou amadora. Escrevo pelo simples prazer de escrever. Não possuo nenhuma vontade de publicar algo agora (mas se alguma editora estiver me vendo agora, sou muito fácil de ser convencida nesse quesito).

Escrevo neste blog porque gosto. Amo falar com vocês, dividir experiências e opiniões. E claro, amo quando vocês deixam a timidez de lado e transformam esse monólogo num diálogo.

Quando resolvi criar essa coluna, deixei bem claro que isso era apenas para ajudar vocês. Assim como eu tive dúvidas, e ainda tenho, vocês também poderiam ter. O que é super normal. Ninguém nasce sabendo. Então decidi que viria aqui compartilhar com vocês o pouco que já sei.

Novamente, quem se sentir à vontade com isso e quiser compartilhar suas próprias dicas, o espaço é todo seu.

Como qualquer escritora, antes sou leitora. Devoro livros e me delicio com as histórias. Cada uma delas tem seu gosto particular. Algumas são doces e fáceis, outras nem tanto. E cada uma tem sua particulariedade.

Uma história nunca vai conseguir agradar a todos. Cada um tem seu próprio gosto, então isso é impossível. Mas existem certas coisas que agridem a todos. Como os clichês e esterótipos, por exemplo.

Por mais que não sejamos críticos, queremos inovação. Não gostamos de histórias repetitivas, com enredos idênticos, sem nenhuma diferença para chamar de sua.

Fugir de clichês e esteriótipos é muito difícil. Ainda mais numa sociedade como a nossa, onde existem conceitos pré-concebidos que acabamos aceitando sem nem ao menos percebi.

Os clichês vivem aparecendo, mas não é deles que vamos falar hoje. Isso fica para outra hora.

Hoje resolvi falar sobre os esteriótipos.


Como o clichê, eles já existem a muito tempo e parecem ter a incrível capacidade de ultrapassar gerações. Mesmo assim, muito pouco vem sendo feito para que eles sejam extinguidos.

Como leitora, é muito frustrante quando lemos um livros com algum esterótipo totalmente ultrapassado. Como escritora, considero um erro grave. Mais que uma simples falta de criatividade, o escritor que se utiliza desse "artificio" ajuda a perpetuar um equívoco, um erro que nem deveria existir para começo de conversa.

Por isso estou aqui hoje.

É chegada a hora de pararmos de repetir os mesmos esteriótipos e aceitar que nada é pré-concebido. Vamos inovar. Vamos ser originais. Mais que isso, vamos retratar a realidade tal como ela e não como uma "fantasia" que nunca fará o menor sentido.

Conheça agora 5 esteriótipos que você deve evitar!



Sexo frágil

Num belo reino, uma pobre mocinha é injustiçada. Todos os dias, sem folga alguma,  ela sofre o pior dos castigos. Se limitando a chorar, a pobre menina nada faz. Ela se conforma que a vida é assim e que nada há para ser feito. Até que ela conhece o herói. Milagrosamente, ele consegue salvá-la e os dois passam a viver a felicidade plena.

Isso até parece conto de fadas. E deve ser mesmo, pelo nível de veracidade. No mundo de hoje ninguém mais acredita em heróis que salvam uma donzela em perigo. Mesmo assim continuamos repetindo o exemplo acima, só um pouquinho mais diferente.

A mocinha ainda sofre o pior dos castigos. Mas ela vive a ilusão de que somente um herói de verdade pode salvá-la e, dessa forma, passa a esperá-lo. Às vezes ele realmente aparece e a salva. Outras não tem tanta sorte e passam a vida procurando o sue príncipe, sem nunca encontrá-lo. Pior que isso. Como ela não o encontra, continua na mesma vida, lamentando seu infortúnio e não fazendo nada para mudar.

Tantas histórias tem esse mesmo enredo. Você com certeza lembrou de alguma.

O que eu tenho a dizer sobre isso é: para que ta feio.

Não sei se vocês sabem, mas a gente ta no século XXI. E nesse século, as mulheres perceberam há algum tempo que elas não precisam de herói algum. Claro, se você ta afim de ajudar não vou ser eu quem vai lhe impedir. Mas também não vou esperar de braços cruzados que alguém venha me socorrer.

Fiona é a prova de que isso não dá muito certo. Tanto que no terceiro filme ela mesma se salva.

Porque, não sei se você sabe, lamentar sobre o seu presente não muda em nada o seu futuro.



Virilidade 

Esse aqui é uma vertente do esterótipo acima.

Assim como as mulheres, os homens também tinham seus próprios padrões a serem seguidos. Enquanto cabiam as mulheres serem chefes de cozinha/diaristas/babás/costureiras/miss/enfermeira e tantas outras coisas, eram os homens os verdadeiros guerreiros, aqueles que deveriam se lançar numa batalha épica em nome da honra de uma donzela.

Por mais que desde essa época coisas super tecnológicas tenham sido inventadas, como a eletricidade, por exemplo, isso ainda costuma ser exigido dos homens.

Pelo menos é o que a literatura diz.

Todos os homens devem ser corajosos, destemidos, guerreiros e, o mais importante, tem que ter um tanquinho considerável. Ah, se ele for meio pavil curto e meio briguento é um ponto a mais. Isso significa que ele é tão viril que mal pode se conter para defender uma donzela em perigo.

Já deu, né gente?

Assim como as mulheres não precisam esperar por um homem para serem felizes, o homem também não tem que se jogar em brigas idiotas apenas para provarem sua masculinidade.

Sim, existem homens com espirito de guerreiros, como também existem mulheres assim. Mas não é um pré-requisito. Ninguém vai morrer se o seu personagem não for o salvador da pátria todo o tempo. Como eu disse antes, alguém pode simplesmente se salvar sozinho.




Limitação Sexual

Recentemente as pessoas se deram conta que existem outras orientações sexuais além da heterossexualidade. Realmente uma novidade e tanto para aqueles que acreditam viver num mundo onde tudo é preto ou branco, sim ou não, errado ou certo.

Na verdade, nem todo mundo ta bem inteirado nisso. Alguns afirmam que isso não existe, que é mentira, ilusão ou qualquer outro conto da carochinha que as pessoas ainda insistem em dizer.

Uma prova disso são as representações mal feitas que vemos por aí.

Pra quem não vê qual o mal nisso pense nessa questão: quando lemos/assistimos algo, mesmo que só pela diversão, estamos aprendendo. Portanto, as ideias ali passadas devem ser verídicas. Do contrário, estaremos passando uma ideia errada. Que será multiplicada, compartilhada e num segundo viralizada. Todos terão acesso a mesma ideia errada. Estaremos passando conhecimento falso.

Quase todo personagem gay que aparece numa história apresenta o mesmo problema que as donzelas do primeiro esteriótipos são frágeis. Na verdade, muitos ainda acham que um homem gay tem todas as características de uma mulher. (uma mulher do ponto de vista deles)

Amantes da moda, gostam de coreografias e são verdadeiros personal stylist. Sabem se arrumar como ninguém. São fracos e estão sempre a procura de um homem viril (você de novo?) para que possam ser protegidos.

As lésbicas também são estereotipadas. Dessa vez, possuem características masculinizadas. São ignorantes, grossas, não tem modos, vestem-se como homem e são auto-suficientes. O extremo oposto da donzela.

Mas quem leva a pior são as outras letras da comunidade LGBT. Primeiro que quase não aparece um personagem trans. Se por um acaso ele aparecer e for uma mulher trans, é lésbica. Se for um homem, gay. Não podem existir trans héteros.

E os bissexuais? Quase nunca dão as caras e se dão, não assumem quem são. Você deve saber do que estou falando. Geralmente ele se assume como gay/lésbica, mas vive tendo suas "recaídas". E aí vem aquele problema de dividí-los pelo gênero.

Mulheres bis são extremamente sexualizadas. Não tem relacionamentos sérios e só estão ali para suprir os desejos dos homens.
Os homens bis são escassos e só aparecem como personagens boêmios e que dizem se relacionar como mulher para não se assumirem gays.

Só tenho uma coisa a dizer: Do mesmo jeito que personalidade não define sexualidade, uma sexualidade não vai ser limitada a apenas uma personalidade. São duas coisas distintas que não interagem entre si.

P.S.: Se você fez seu personagem com uma sexualidade, mantenha-a até o final. Ninguém costuma mudar de sexualidade como se trocasse de roupa.



A Garota Sem Sal

Um esteriótipo que vem corroendo a literatura é este. Parece que em todo livro essa menina ta lá. Ás vezes, até conseguem me enganar e acredito que dessa vez ela não vai aparecer. Mas quando ouso piscar, lá está ela.

Tímida, antissocial, sem nenhum atrativos, a única coisa que parece chamar a atenção nessa menina é o quanto ela parece desastrada. Ela vai cair no gelo, tropeçar no vão do elevador, ou até mesmo numa calçada plana da rua.

Ah, mas nada disso vai impedir que o mocinho másculo e viril (lembra dele?) se apaixone por ela.

Contra todas as lógicas, ele conseguiu ver algo de atraente nela. Ela parece diferente de todas as outras garotas que ele já conheceu. Nenhuma outra parecia ter uma tendência tão forte para se meter em perigos, ou tropeçar neles. (isso se chama miopia)

O mocinho másculo e viril passa então a tentar protegê-la. Porque é a única coisa que ele foi treinado pra fazer. Já falamos sobre isso. E, mesmo que a menina diga que não, que ta tudo bem, que semana que vem ela vai poder buscar os seus novos óculos, ele não acredita e jura protegê-la enquanto houver tinta para escrever esse livro.

Uma vertente da donzela em perigo, a garota sem sal pode demonstrar atitude (ás vezes) e tentar se salvar por si só. Mas o mocinho másculo e viril não vai deixar e vai ele mesmo salvá-la, lembrando que ela deveria se preocupar com outras coisas. O papel de herói é só dele.

E se por algum acaso ela acabar salvando alguém, ainda assim ele foi o responsável. Sem ele, ela não teria nem passado dos dez primeiros minutos, quando quase foi atropelada naquela rua deserta que quase nunca passa carro.

E assim a bela garota sem sal passa a eternidade com o feroz mocinho másculo e viril.




Amantes Superficiais

Ah, o amor! Um dos sentimentos mais lindos para serem sentidos, o amor é assunto recorrente nas histórias fictícias (ou não). Mas este não é o problema. Como romântica incorrigível, acredito que todos um dia passarão por esse sentimento, seja a forma que for.

O problema é quando tratam de um sentimento tão ambíguo e complexo de forma superficial.

"Ele era tão lindo. Seus lindos olhos [insira a cor aqui] pareciam brilhar sob a luz sol. Seu rosto parecia esculpido por algum artista [menção opcional]. Seus lábios eram [adjetivo] e pareciam me chamar toda vez que eu o via. Ele era forte. Seus músculos eram duros como pedra, mas pareciam serem feitos de veludo quando ele me tinha em seus braços.
Além de sua beleza, o que me chamava a atenção era sua conta bancária. Seu nome, quando pronunciado, provocava surpresa. Sua família era famosa, rica e poderosa.
Ele tinha o mundo nas mãos.
E agora também me tinha."

Amores da minha vida, deixa eu dizer uma coisa meio óbvia pra vocês: ninguém se apaixona por beleza ou dinheiro. Ninguém. Se esse for o motivo por você estar interessada naquele boy, esquece. Você não ama ele. Você ama as aparências e o estilo de vida que ele pode te dar.

Parece óbvio. Mas continuam tentando empurrar esse tipo de esteriótipo goela abaixo. Podem continuar que não vai funcionar.

Sim, não há nada de errado em se apaixonar por um homem/mulher bonito(a) ou rico(a).

O que tem de errado é seu sentimento se limitar a isso.

E, me corrijam se eu estiver errada, quando vamos falar sobre alguém que gostamos geralmente falamos sobre sua personalidade. Se é gentil, carinhoso, engraçado, curiosa, divertido e etc. Sim, se acaso ele for bonito, você também falará sobre isso. Mas não vai se demorar numa página sobre o quanto as obras de Michelangelo não são nadas se comparadas a ele.(aliás, o artista se ofendeu, ok?)




E ai? Concorda com o que eu disse aqui ou eu devo estar drogada? Comenta aí se você concorda ou discorda comigo ou se por acaso eu acabei me esquecendo de algum esteriótipo.
Não se esqueçam que isso aqui é apenas a minha opinião e que você tem todo o direito de ser contrário só não vale xingar e vim com argumentos vazios.

Nos vemos em breve amoras. Bye!

73 comentários:

  1. Olá
    Adoro ler sobre polêmicas e afins, especialmente porque sempre faz a gente refletir e de um modo bem complexo, se quisermos é claro. E sobre os esteriotipos citados acima, concordo plenamente e assino embaixo hehe. Gostei muito sobre a garota sem sal, porque é mesmo bem assim que acontece. Na verdade, é assim que acontece com tudo que você citou.. mudanças sempre são necessárias!
    Beijos, Fer - www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Fico bem feliz que você tenha gostado. Realmente estava entalado tudo isso na minha garganta e eu precisava pôr para fora.
      A garota sem sal me irrita demais. Todos os livros, geralmente romances, parecem ter uma.
      Precisamos mudar isso sim.
      Bjs!

      Excluir
  2. Oláa! O pior de todos para mim no momento é dos amantes superficiais, e assim, é coisa que você em quase tooodos os filmes de romance. Sua descrição nessa parte me fez lembrar uma discussão que tive recentemente sobre superficialidade, principalmente nesse quesito aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Nossa, isso sempre acontece em filmes de romance e livros eróticos.O cara sempre é lindo, bombado e cheio da grana. E o autor nem tenta esconder isso. Sempre reforça essas características e, quando perguntados, os personagens sempre mencionam essas coisas para falar do porquê gostam de fulano.
      Simplesmente me irrita tratarem um sentimento de forma tão superficial.

      Excluir
  3. Nossa, sério, você pode não ser A escritora nata, mas é A menina que sabe se expressar e prender alguém em algo! Olha, hoje eu li muitas resenhas, e percebi isso que você disse, sempre a mesma história, o mesmo enredo, os personagens só mudam de aparência e endereço rs. Acredito que precisamos inovar, para poder chamar atenção de um público que também se cansou dos esteriotipos iguais! Se você continuar assim vai longe! Um beijo.
    Esteticando-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigada. Fico muito feliz em ouvir/ler isso.
      Nossa eu também vejo isso. Não aguento mais pegar um livro e descobrir que é a mesma história de alguns dias atrás. Parece que eles nem se importam em tentar mudar algo.
      Obrigada pelos elogios e espero te ver aqui mais vezes.

      Excluir
  4. Achei muito interessante seu post, alguma coisa precisa ser feita para acabar com este estereótipos. O que mais me irrita é esse do sexo frágil, basicamente a história é a mesma, você vê o início e já sabe o fim, cadê a inovação? Amei seu post sério 👏🏼👏🏼❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina e não é que me peguei fazendo as mesmas coisas que mencionei.
      Esses esterótipos sempre me irritaram, mas eles estão tão enraizados em nós que eu nem mesmo percebi que criticava o que escrevia. Pelo menos as minhas primeiras histórias estão carregadas de clichês e pré-conceitos. Agora estou mudando tudo.
      Me deseje sorte com isso.
      Muito obrigada pelo elogio e espero te ver aqui mais vezes.
      Bjs!

      Excluir
  5. A Garota Sem Sal anda me irritando e muito! Todo o livro ela está lá, realmente! hahaha o mais engraçado é que elas sempre trombam no cara e ele se apaixona por ela e em grande parte das vezes, ela sofre ameaça da garota popular. Realmente, de tão clichê está se tornando muito chato!
    Adorei o post, que super criatividade pra escrever!

    Beijos,

    www.rodoviadezenove.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente assim!
      Já perdi as contas de quantos cafés e refrigerantes foram derrubados nas camisas do mocinhos. Só com isso dava pra abrir uma lavanderia e viver só disso. Clientes é que não iriam faltar.
      E o pior é que as pessoas sabem que é clichês, a personagem até se dar conta de que tudo foi muito esperado, e mesmo assim ninguém fala nada. É exaustivo.
      Obrigada pelos elogios! É sempre bom ouvir que estamos agradando.
      Bjs!

      Excluir
  6. Socorro!!! Obrigada pelo seu post, juro por Deus, é preciso ser falado mais sobre essas coisas. Eu sempre fui muito militante quanto aos esteriótipos que a sociedade impõe sobre ad MULHERES. Já fui chamada de chata, de quadrada, quando tudo que eu quero é mostrar que há muitas formas que criaram pra gente se encaixa que simplesmente NÃO cabemos neles e não vamos nos forçar a caber. Somos fortes sim <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, eu te entendo. A maioria me acha chata e dizem que enxergo mais do que é há pra ver. Como se eu estivesse inventando as coisas!
      Sempre digo que existem personagens como os descritos aqui, mas que eles não são a maioria.
      São poucos os livros que as mulheres são realmente decididas e não precisam de homem.
      Você disse tudo!

      Excluir
  7. Oie
    De escritor e louco todo mundo tem um pouco ehehehe. Sério, você escreve muito bem. O fator esteriótipo é um determinante quando leio uma resenha. Esse lance de topar com a garota e rolar paixão e ela ser delicada e toda princesinha...blergh... já deu, cansou. Mas A nossa sociedade é assim. Cheia de esteriotipar tudo ao seu redor. Mudanças são necessárias, mas tenho medo do que pode acontecer amanhã...não estaríamos criando um novo esteriótipo ao não esteriotipar?
    Beijokas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro de tudo, obrigada pelo elogio.
      Olha, te entendo. Também já cansei desses esteriotipos super ultrapassados. E também tenho um certo receio quanto a não esteriotipar. Estarimos criando um novo esteriotipo?
      Eu acho que não.
      Somos tão diferentes uns dos outros, com histórias peculiares que não se assemelham com as outras que eu acho bem difícil acontecer. Temos muito material para escrever. Só parar pra observar as pessoas que nos cercam.
      Então pra quê se forçar a escrever sobre apenas uma pequena parcela quando podemos falar sobre todas as cores e jeitos que existem?
      Bjs!

      Excluir
  8. Este assunto é muito importante, principalmente sobre as mulheres e homossexuais. Parece que não somos suficientes perante a sociedade. Quando muitas vezes somos mais fortes e trabalhamos mais para continuar sendo menos que eles. A sociedade, os filmes, a cultura precisa mudar. Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sentimento que tenho sobre isso é frustração.
      As pessoas não nos enxergam como realmente somos. Somos sim muitas vezes mais fortes que os homem. Eles mal aguentam um chute certeiro enquanto temos que conviver com cólicas todos os meses!
      E os homossexuais? Até mesmo séries que tem um foco central nessa questão acabam pecando em alguma parte.
      Precisamos mudar e depressa.
      Obrigada pelo elogio.
      Bjs!

      Excluir
  9. A resposta é não, concordo com você e você não parece estar drogada! hauahauahau
    Acho que o pior de todos é essa coisa da virilidade! Que coloca o homem como o grande guerreiro e batalhador. Enquanto a realidade é que cada vez mais, são as mulheres as fortes, são elas que fazem dupla jornada, trabalho, casa, muitas vezes filho pra cuidar. Isso quando não são pai e mão ao mesmo tempo, né?! O que é muito recorrente.

    Parabéns pelo texto! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pela primeira vez alguém não me achou drogada. hahahaha
      Não sei dizer qual é o pior, mas a parte do homem ter que sempre ser um guerreiro me fere constantemente.
      Algumas das minhas personagens ão excepcionais heroínas. Literalmente guerreiras. já ouvi tantas reclamações dizendo que elas não poderiam ser já que nós mulheres somos muito emotivas. Chegaram até a dizer que elas não teriam força o suficiente para isso.
      Fico me perguntando se essas pessoas já se deram conta de que estamos no séc XXI e não no séc XIX.
      A jornada dupla é uma realidade para nós mulheres. Somos obrigadas a cuidar da casa, dos filhos, dos maridos e da nossa carreira. Enquanto uma mulher está fazendo o jantar, o maridão está assistindo tv, se dizendo cansado!
      As pessoas precisam perceber o quão absurdo isso é.
      Fico feliz que tenha gostado e muito obrigada pelo elogio.

      Excluir
  10. Super concordo com tudo o que você disse. Esses esteriótipos que a população coloca --'
    Esse negocio de garota sem sal é o que mais irrita, sempre em literatura e filmes sendo que na vida as coisas não são bem assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Garota sem sal aparece tantas vezes que já pode ser considerada uma praga. Tipo erva daninha, sabe? Quando você menos espera, puft, lá está ela. Esbarrando em alguém e tendo uma auto estima super baixa.
      Tudo bem que infelizmente existem pessoas assim. Mas os livros deveriam tomar como exemplo uma mulher decidida, que se gosta, para que assim as meninas pudessem aprender a se gostar.

      Excluir
  11. Que post incrível. Realmente, existe todos esses estereótipos e, se bobear, muito mais. O da virilidade é o pior. É um belo exemplo de que essas coisas machistas afetam não somente nós mulheres, mas também os homens, essa cobrança surreal de que eles tem que ser bravos e insensíveis, que não podem chorar senão não são homens de verdade, e etc... Foda!

    www.patriciasachs.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Do jeito que a literatura está, devem existir muito mais.
      Sim! Eu queria chamar atenção justamente para isso. A gente sabe que machismo é horrível, mas esquecemos que isso também afetam os próprios homens. Basta ver os meninos dizerem um para os outros que homem não chora e que demonstrar emoções é coisa de menina.
      Eu fico apavorada quando uma criança diz isso.
      O machismo não traz amarras apenas para as mulheres. Ele também fere os homens.
      Precisamos de mais mulheres empoderadas e mais homens humanizados. Todos tem defeitos e qualidades. Somos fortes e ainda assim demonstramos fraquezas.
      Não devemos limitar ninguém para se encaixar num esterótipo. Assim como usar roupas de um número menor, tentar se encaixar num padrão faz muito mal á saúde e a auto-estima.

      Excluir
  12. Posso te dar um beijo? faço das suas palavras as minhas. Também escrevo, e nem me considero com o título de escritora, mas faço por amar. E você abordou tudo com tanta sabedoria e sinceridade, que eu realmente adorei.

    Vou acompanhar seu blog sempre que puder. Sucesso sua linda. E que nesse ramo, vc alcance seus sonhos. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaah uma semelhante! Amei!
      Primeiro de tudo, sucesso pra você menina. Vamos juntas abalar as estruturas da literatura comum.
      Obrigada pelos elogios. O bem que eles fazem a minha auto-estima... nossa! Você não tem noção.
      Fico muito feliz que tenha gostado e espero que se sinta em casa.

      Excluir
  13. JÁ AMEII O POST! polêmica AMO!

    Se tem algo que eu detesto em livros são clichês, ainda mais quando mal escritos sabe? todos os que você citou me irritam muito, mas nenhum supera a mocinah sem sal zzzz ai gente todo livro a garota principal tem essa personalidade, ai eu pergunto pra quê? para algumas garotas se identificarem? acho que não. Eu gosto de personagens com personalidade marcantes sabe? diferentões, acho que por isso eu evito os romances já que pelo menos 70% deles são assim, clichês que mudam apenas a época e o estilo, mas os personagens tem a mesma personalidade sempre. Eu amei muito essa postagem sério! Raramente vejo alguém falar sobre esse tipo de coisa, ou realmente criticar. Adorei ♥

    Beleza Nerd

    Fã Page | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SE EU TO NESSE MUNDO É PRA CRIAR POLÊMICA!
      Menina, eu amo personagens com personalidade marcante. Amo! Muito melhor alguém totalmente diferente, alguém que nos surpreende sempre. Qual a graça de um personagem quadradão que sempre vai fazer as mesmas coisas? Nenhuma!
      Ah, obrigada flor. Não esperava que tantas pessoas curtissem isso, então to impressionada agora.
      Também não tinha visto ninguém falar sobre isso, então decidi arregaçar as mangas e eu mesma fazer isso. Acho que deu certo, né?
      Fico muito feliz que tenha gostado.

      Excluir
  14. Falando assim como não refletir ne? Como você só disse verdade. To boba. As vezes a gente nem percebe mas é sempre os mesmos roteiros, podem com personagens diferentes kkkk muito bom o post! Adorei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente os esteriótipos estão tão presentes que a gente mal percebe mesmo. E mesma tive que me esforçar pra fazer esse post. A maioria em nem lembrava.
      Mas isso só quer dizer que está na hora de alguém dar uma sacudida na literatura e inovar. Espero ter contribuído pelo menos um pouco para isso.
      Ah, que bom que você gostou. Fico muito feliz com isso.
      Bjs!

      Excluir
  15. Você falou tudo!! Sabe que todos os livros que eu leio sempre tem essa garota sem sal. É chato sempre é o mesmo assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu não aguento mais essa garota.
      No começo eu me surpreendi por ela ter chegado a protagonista. Temos que reconhecer que ela deve ter batalhado duro para isso.
      É extremamente exaustivo vê essa repetição.
      Mas isso só reflete na superficialidade dos outros personagens que conseguem ser ainda mais vazios que a própria garota sem sal. Vai entender!

      Excluir
  16. Achei ótimo tudo que você escreveu. O esteriótipo é um mal significativo na sociedade e que leva tristeza no coração de muitas pessoas. Vamos lutar para que um dia isso possa mudar. Parabéns pelo post.
    http://www.missmundo.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. O esteriótipo só nos fere, não nos traz nada de bom ou construtivo. Ele nos prende aos mesmos pensamentos e não nos deixa evoluir.
      Então porque continuar repetindo-o?
      Temos que mudar sim!
      Obrigada, flor. Espero te ver mais por aqui.

      Excluir
  17. acho ridículo quando menosprezam a mulher, sexo fragil? Somos muito mais mulher que muitos homem por aí, é por isso que nos agridem tanto fisicamente quando moralmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você.
      Alguns homem parecem temer o progresso que as mulheres tem feito. Como se isso de certa forma os fizessem menos homem.
      É o clássico homem viril que se sente perdido quando encontra uma mulher independente. É como se toda a sua existência não tivesse o menor sentido. E por isso nos agridem.
      Mas não somos fracas, muito menos sexo frágil. Mal sabem eles que estão comprando uma briga em que não poderão ganhar.

      Excluir
  18. Mila, só quero que tu saiba que tenho muito orgulho de poder discutir esses assuntos com você, é uma honra pra mim! Estou muito orgulhoso de você, e ainda vamos discutir bastante, então se prepare :D (E amei a dedicatória, me senti honrado) <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Paulo!
      Eu é que me sinto orgulhosa de ti. Até porque, muitas vezes quem acaba iluminando os meus pensamentos desordenados é você. Fazer o quê?
      Também sinto o maior orgulho de você e sempre vou acreditar no seu potencial.
      Vamos discutir sim. Mas vamos discutir com amor.
      (aproveita que eu to bem legal hoje que isso não costuma acontecer sempre) <3

      Excluir
  19. Que post relevante!!!
    O mais interessante é a questão de que sim, existem homens que gostam de homens e mulheres que gostam de mulheres e o mundo continua lindo!!! A garota sem sal tem estado em um numero enorme de livros e me irritam muito também. Enfim, adorei suas considerações.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaaah, vamos se casar? hahaha
      Exato. Existem pessoas que gostam de pessoas do mesmo sexo e tudo bem também. A gente precisa de mais amor e menos ódio. Não o contrário.
      E forçar essas pessoas a se encaixarem em esteriótipos é horrível. Já são muitas pressões sem isso. Pra que piorar essa situação ainda amis?
      Nossa, a garota sem sal ta me irritando muito. Não aguento mais encontrar essa menina. Socorro!
      Fico muito feliz que você tenha gostado. É tão bom saber que estou agradando.
      Bjs!

      Excluir
  20. Nossa você falou tudo !
    A garota sem sal chega a irritar, são muitos livros que tem essa descrição, chega da até raiva.
    Adorei seu Post, e parabéns pelo Blog, ta incrível, talento é o que não falta né.
    Mil Beijos


    www.suhmoncano.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina se eu vê mais uma vez essa garota é capaz de eu jogar o livro longe. O que seria um pecado. Então reze para que isso não aconteça.
      Ah, obrigada pelos elogios. Você não sabe o bem que eles me fazem.
      Espero te ver aqui mais vezes.
      Bjs!

      Excluir
  21. Olá, achei a sua postagem diferente e até interessante. Acho que cada um faz o que quiser, né? Evitar ou não, depende da pessoa. Mas eu concordo com o que você disse e esses 5, na minha opinião, deveriam mesmo ser evitados. As pessoas precisam entender que somos todos diferentes e não há mal nenhum nisso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah fico feliz que tenha gostado!
      Sim, cada um faz o que quiser. Você tem toda razão. E realmente costumo evitar esse tipo de situação. Quem sai perdendo é eles, já que muitos leitores se sentem do mesmo jeito que eu.
      Somos todos diferentes sim e temos que ter respeito quanto a isso. Não adianta pregar por aí dizendo que aceita as diferenças e as peculiaridades de cada um, se na hora de escrever e influenciar alguém continuamos reforçando os mesmos esteriótipos.
      Ta na hora de parar.

      Excluir
  22. Polêmica? QUERO!
    Brincadeiras, à parte o seu post é bastante interessante e relevante. Todos os esteriótipos que você citou são presenças marcadas na literatura, principalmente o da menina sem sal e o dos amantes superficiais. Esse último é um dos que mais me irrita pois é figurinha carimbada em 90% dos romances mais picantes, um gênero que eu leio bastante, fazendo que seja uma raridade encontrar uma história em que o físico do mocinho ou da mocinha não seja descrito poeticamente e nos mínimos detalhes. O assunto fica ainda mais polêmico quando pensamos que muitos desses esteriótipos existem fora da literatura, ainda que não exatamente iguais, o que é bem triste.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus, você disse tudo!
      Estou impressionada com o jeito que você expôs sua opinião. Poucas vezes vi alguém se expressar assim.
      Também leio muitos romances mais picantes e os amantes superficiais é algo recorrente e que me frusta. Não é porque o livro tem cenas mais quentes que ele seja, necessariamente, apenas sexo para que só importe a aparência em alguém.
      É exaustivo ver isso repetidas vezes.
      E sim, a pior parte dos esteriótipos é que eles não estão apenas nos livros. Quem nos dera fosse assim. Não. Eles refletem o que vemos todos os dias na sociedade.
      E sim, isso é muito triste.
      Bjs!

      Excluir
  23. Olá,
    Achei bem interessante você já voltar com um tema bombástico como esse e com sinceridade extrema.
    Uma das coisas que mais ando vendo em livro que leio são os amantes superficiais e adorei o exemplo citado nesse tópico.
    Realmente, os homens são descritos como muralhas de músculos que se derretem quando tocam a mocinha... ahh para com isso é muita lenga lenga.
    De vez em quando é bom, mas todo romance ter isso?! Não dá né...

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você viu menina como eu sou osada? hahaha Nem tanto.
      Olha os amantes superficiais me frustam de tal maneira... É horrível ver que muitos romances se limitam á apenas a aparência. E a personalidade, onde fica?
      A questão da virilidade também é bem delicada. Existem homens assim? Sim. Mas eles não são sequer a maioria.
      Temos que parar de repetir as mesmas coisas.

      Excluir
  24. Olá!! :)

    Eu gostei de ler o artigo, de ver essa tua "ferocidade", força e espirito mordaz, sem duvida nenhuma!! :)

    mas ainda bem que alertas para isso, embora que em alguns pontos demasiado exagerado!! Sim, ate nos livros os estereótipos estão em todo o lado!..

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, fico bastante feliz com isso. É muito gratificante ver que estou agradando.
      Sim, eu sou dada a exageros. Fazer o quê? Mas acho que pelo menos as pessoas prestam atenção se eu exagero, então já é um pontinho positivo.
      Infelizmente você tem razão, os esteriótipos são as ervas daninhas da literatura.
      Bjs!

      Excluir
  25. Muito boa a sua matéria. Apesar de que estas coisas a gente deve fugir, muita gente ainda sonha com estas coisas em livros porque é com que a mente faz para que saia do contexto atual da realidade e as faça sonhar com algo melhor mesmo, por isso que dá tão certo na literatura....

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, acho que no princípio isso aconteceu mesmo. As pessoas meio que esperavam essas atitudes, então acabou agradando. Por isso se tornou algo tão recorrente.
      Mas eles repetiram isso tantas vezes, forçaram tanto essas situações que são poucas as pessoas que continuam gostando.
      Não é mais novidade. E a gente sabe que o que vende é algo novo.
      Bjs!

      Excluir
  26. Olá,

    Ainda não conhecia sua coluna, mas fiquei bem feliz por fazê-lo. Adoro pessoas que mostram suas opiniões sem se importarem com o que os outros irão falar, e seu modo de escrever é muito gostoso de ler, a gente nem sente o tempo passar. Gostei e concordo em partes com o que você falou. E já espero sua coluna sobre os clichês, pois apesar de gostar deles, tem alguns que não rolam. Parabéns pela coluna!

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah obrigada!
      Eu tive receio de que estava sendo sincera até demais e que isso pudesse ferir alguém. Ainda bem que não aconteceu. Ufa!
      Ah, obrigada pelo elogio. É muito reconfortante vê que as pessoas gostam do jeito que escrevo. Um alívio, até.
      Pode esperar a coluna sobre os clichês. Já estou preparando o material e ela promete ser bombástica.
      Bjs!

      Excluir
  27. Olá Camila,
    Adorei a sua postagem. Achei legal lê-la, eu fiz isso lendo como se fosse uma leitora levantando esteriótipos que irritam.
    o que mais me incomoda é a garota sem sal, sério. Todos os outros eu até consigo aceitar, mas esse é péssimo. Essa questão de as mocinhas não terem atrativo nenhuma é uma coisa péssima, pois faz parecer que uma pessoa que é assim, será salva por um príncipe encantado.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha eu sinceramente não sei qual me irrita mais. No momento é sobre a limitação sexual. Mas isso varia muito dependendo do que ando lendo ou das coisas que eu vi.
      Mas se tem um que me irrita pela sua insistência é a garota sem sal. Já chega de falar dela, né? Já deu!
      Temos atrativos sim. Somos lindas, inteligentes e diferentes uma das outras. Não somos um padrão repetitivo feito para agradar ninguém, quanto mais o príncipe frustrado que insiste em querer nos salvar.
      Bjs!

      Excluir
  28. hahahha, amei sua postagem, mulher =D Amei!
    Divertida e verdadeira :)
    Eu não aguento mais esses estereótipos. Sério. Não aguento mesmo. Por isso que fujo de alguns gêneros que costumam trazer um ou mais dele. Geralmente livros eróticos, NA ou de época. Claro, isso na minha opinião.
    Como leitora, esses estereótipos muito me irritam.
    E como autora, me nego a escrevê-los. Existem pessoas assim? Até existem, MAS tanta gente já fala delas que eu prefiro falar de outros tipos.
    Um estereótipo que eu odeio é o da mocinha virgem. NOSSSSSSSAAAAAA. Que horror que eu tenho desse tipo hahahahhah É um fetiche dos autores né? Nunca vi.
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigada! Fico muito feliz que você tenha gostado.
      Também ando fugindo de alguns gêneros assim. Romance ou eróticos só depois de uma boa sondada. Me recuso a encontrar essas figuras outra vez.
      Penso exatamente como você.
      Isso me ofende tanto como leitora quanto escritora. É frustrante que as pessoas ainda insistam em coisas assim.
      Nem me fala da garota virgem. Se existisse tanta menina virgem assim, a natalidade era a metade do que é agora.
      Deve ser fetiche sim. Já deu!
      Bjs!

      Excluir
  29. Oi Camila, assim como você dou minha opinião porque gosto e não sou profissional. Gostei de ler sobre os estereótipos e concordo com vários. Adoro pegar um livro que traz personagens diferentes dos clichês. A menina sonsa e submissa já deu! Risos. Sabe um tema legal, e não sei se você já falou sobre ele? Preconceito com gênero literário, ou com capas de livro. Aqueles comentários tipo: "não leria por causa da capa" me dá vontade de arrancar os cabelos! Fica a ideia. No mais, gostei da coluna! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, fico feliz que tenha gostado.
      Também amo pegar um livro com personagens diferentes. Eles me surpreendem e eu acabo não adivinhado todos os passos deles, o que é bem chato quando acontece.
      Sim, não aguento mais a garota sonsa. Nunca vi personagem mais irritante!
      Ah, ainda não falei sobre isso, mas já me pensei sobre. Acho que vou seguir sua dica e dar um puxão de orelha em quem pratica preconceito literário.
      Obrigada!

      Excluir
  30. Olá, tudo bom?
    Então... acho que cada história traz um propósito e um desenvolvimento. Acho que se o esteriótipo nos é apresentado no início para uma evolução do personagem durante a leitura, não é necessariamente algo ruim. Se uma personagem é frágil, por exemplo, e precisa ser salva a todo tempo e algo acontece que ela percebe que é capaz de se salvar, de se bastar, porque não? Por isso acho complicado dizer que todos esses elementos são necessariamente ruins. Outro ponto que pode acontecer é em romances de época. Geralmente se passam no século XIX, e se você tira um elemento onde as mulheres são vistas de uma forma preconceituosa pela sociedade, bem, você tira a ambientação do livro. Mas, curti seu ponto de vista e os questionamentos ^^
    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah te entendo e concordo contigo.
      Não acho ruim quando um personagem começa estereotipado e depois consegue evoluir. Desde que essa evolução seja muito bem criada e o leitor não se perca no meio disso tudo, ta valendo.
      Também concordo com a parte dos romances de época. Sim, a mulher era muito cobrada e não havia escolha para ela senão aceitar isso.
      Mas são casos à parte.
      Eu me referia a esse boom de clichês e esteriótipos que os livros andam trazendo.
      Muitas vezes os livros são ambientados nesse século e as personagens insistem em serem quadradas, sempre do mesmo jeito, sem evolução alguma. É muito frustrante. Principalmente porque hoje em dia temos uma variedade de personalidades e histórias, e os autores insistem em continuar com apenas uma pequena parcela disso.
      Bjs!

      Excluir
  31. Oie!!
    Aonde eu assino?
    Concordo com você em gênero, número e grau... adorei a sua postagem. Polêmica? De fato... mas você tem toda razão, acho que quando algo faz sucesso ele tende a virar padrão e é isso que aconteceu com esses esteriótipo ai que você citou.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!
      Que felicidade estou sentindo ao ouvir/ler isso.
      Infelizmente você está certa. Tudo que faz sucesso acaba virando um padrão que é repetido e repetido. E isso é bem exaustivo.
      Antes até que era algo diferente, mas hoje em dia não é surpresa alguma ver personagens como os que eu citei. Ta na hora da gente inovar.
      Bjs!

      Excluir
  32. Oi oi querida,
    Esse seu amigo merece um abraço e um beijo ♥

    Adorei o post, e todos os estereótipos citados estão explicados. Não gosto quando vejo uma "mocinha" do Sexo Frágil, e nem mesmo quando vejo um lutador ou um PlayBoy todo cheio de si.

    Achei muito bem explicado cada estereótipo, e você poderia divulgar em outras redes socias. Tenho certeza que outros leitores iriam adorar.

    P.S você pode fazer um post falando dos tipos de leitores(aqueles que só assistem o filme e acham que são os EXPERTs), ou dos qualquer assunto relacionado ao mundo da literatura.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!
      Primeiro de tudo, meu amigo pediu pra te avisar que você fez o dia dele. Segundo, ele não me deixou em paz até eu vim responder os comentários. hahaha
      Fico muito feliz que tenha gostado. Tampouco não gosto desses personagens e só pela sua descrição dezenas de histórias já vieram a minha cabeça.
      Ah, já estou divulgando e espero que eles gostem mesmo.
      Obrigada pela dica. Adorei a ideia e já estou pensando em como colocá-la em prática.
      Bjs!

      Excluir
  33. Oi Camila, adorei todos os estereótipos que você apresentou é realmente eu digo deles mas de todos o que mais me irrita é essa de mocinha sem sal. Nossa acho personagens assim chatas demais...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que você tenha gostado.
      Ah, sim. A mocinha sem sal é recorde de reclamações, basta dar uma conferida pelos comentários. hahaha
      Ela é extremamente irritante mesmo. Não aguento mais vê-la.
      Bjs!

      Excluir
  34. Oi. ADOREI!
    Estou cansada desses esteriótipos que não param de se repetir nos livros que mais fazem sucesso ultimamente: mocinha tímida, desastrada, inocente e virginal que precisa desesperadamente da proteção do homem musculoso, viril, que é gentil somente somente com ela e lógico que tem que ser um deus do sexo. E claro, as atitudes grotescas do homem sempre são justificáveis por traumas do passado que a mulher tem que ajudar a superar...
    Quanto a homossexualidade, não pude deixar de lembrar do Alec, de Peças Infernais. Ele é um guerreiro forte e lindo, que não liga nem um pouco pra moda e simplesmente quebrou todos os esteriótipos. A tia Cassandra foi foda.
    Adorei suas considerações, parabéns pela maturidade sendo tão novinha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que ótimo!
      Acredita que comecei a ler Instrumentos Mortais esses dias? Mal conheço o Alec, apenas pelo filme, mas já vi que a tia Cassandra fez um ótimo trabalho quebrando os esteriótipos. Realmente ele não me parece ser gay se formos analisar pelo que a sociedade espera. Tirando, é claro, a única coisa que faz com que alguém seja gay, a atração por homens.
      Obrigada pelos elogios!

      Excluir
  35. Olá.

    HAHHAHAH concordo muito com você. Muitos livros, principalmente literatura nacional, tem esses esteriótipos. Fica tudo muito igual, sabe? Sempre a mocinha é sexo frágil e, como vc disse, não faz nada para mudar isso. Elas ficam esperando o príncipe encantado cair do céu hahahhahaha Eu fico super enjoada de livros assim. Sem contar na mocinha sem sal kkkkk essa eu ri muito. Sempre o deus grego se apaixona por ela. Afff

    AMEI!

    Beijos!
    Respire Literatura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa eu mal consigo imaginar o que faz com que os autores continuem insistindo nesses personagens. A não ser, é claro, pela facilidade com que são vendidos. É uma fórmula pronta para as vendas. Mas estou vendo que não sou a única que está se irritando com isso.
      Quem sabe assim isso mua?
      Bjs!

      Excluir
  36. oie, adorei o post e esses esteriótipos são muito destacados na nossa literatura realmente. dia desses apareceu um livro, desejo concedido da megan maxwell e aí nele tínhamos uma mocinha que era toda destemida e um cara que era o guerreiro, másculo, viril, e esse guerreiro humilhava a mocinha porque tinha a perspectiva de que ele que deveria protegê-la, mandar em tudo, porque quando ela contrariava ele na frente de alguém estava ferindo sua masculinidade. e o pior é que todo mundo achou esse mocinho apenas... fofo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, fico feliz que tenha gostado :3
      Ainda não tinha ouvido falar sobre esse livro, mas já me interessei. É bem difícil ver as mocinhas sendo verdadeiras guerreiras e donas do próprio destino.
      Não acredito que as pessoas acham ele fofo! Como assim?
      Um cara bruto desses sendo taxado de fofo?! Não consigo acreditar.

      Excluir
  37. Oiiiiiiiii

    Adorei seu post, e sinceramente você resumiu exatamente tudo que odeio em livros hots (sei que não está falando deles, mas isso que me incomoda). Pior mesmo quando vc lê um livro e encontra mais de um desses esteriótipos, fico doida mesmo com a quantidade de protagonista sem sal que tem tido ultimamente. Mas enfim, amei de verdade ahhaha

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir