terça-feira, 20 de setembro de 2016

Moda ou Princípios?

Olá amoras do meu coração! A terça ta quaaaase acabando, mas eu acho que ainda dá tempo da a gente para um um pouquinho e conversar sobre aquilo que nos impulsiona, que nos da prazer: a escrita!



E hoje vamos falar sobre o quê escrever. Calma, ninguém aqui vai dizer o que você deve ou não escrever. Muito pelo contrário. Hoje vamos falar do que realmente vale à pena, escrever seguindo um padrão ou encontrar seu verdadeiro estilo?




Assim que eu comecei a escrever, que eu comecei a me ver como uma escritora em potencial, uma dúvida surgiu. Eu deveria escrever para mim ou para os outros?

Muitos escritores já se perguntaram antes. Outros tantos já pularam essa fase e escolheram sem nem ao menos pensar. Em alguns casos, isso foi um erro.

Hoje em dia é muito comum esbarrar com uma fan fiction na internet. Histórias feitas por fãs sobre uma série preferida, livro ou qualquer outro dia. Há aqueles que vão mais além e criam histórias e personagens a partir de músicas.

Por conta da internet, e do acesso fácil à ela, os textos são muito mais expostos e há muito mais plataformas diferentes para isso. Wattpad, Social Spirit, Amazon e etc.

O que é bom. É muito mais fácil ter uma exposição favorável e, consequentemente, criar fãs.

Por outro lado, essa exposição excessiva pode fazer mal.


Acreditem quando eu digo que sempre haverá quem não vai gostar e, não sei se isso é pior ou não, quem vai gostar até demais.

Lidar com haters é fácil. Se eles criticam os personagens, saibam que isto é normal. Já xinguei muito personagem e até hoje não me dou bem com meus autores favoritos.Faz parte.
Mas a partir do momento que a pessoa passa a criticar tudo que vocês escreve e te humilha, o nível sobe. Bloquear e excluir são opções viáveis. Não perca a cabeça e tente não responder. Não vai adiantar.

Agora fãs obsessivos é um pouco mais complicado. Eles vão te stalkear, te adicionar em todas as redes sociais e sempre te perguntarão quando vai sair o próximo capítulo. Mas existem aqueles que vão te "aconselhar". Vão sugerir que você mude isso ou aquilo outro. Vão pedir para que fulano fiquem com sicrano. Vão te implorar para que o fim seja aquele e nenhum outro.


Esses pedidos podem ser simples. Coisas de fã. Quantas vezes pedi, implorei, chorei para aquela escritora para que ela não ferrasse o meu casal preferido? 

Mas o caso é: nós como escritores não devemos nos sentir obrigados a atender esses pedidos.

A história tem um fluxo, tem um porquê e um porém. Pode ser que você saiba tudo que deve acontecer desde o princípio. Pode ser que as coisas se revelem aos poucos. De qualquer forma, existe um porquê para tudo que acontece. Tem uma ordem e uma lógica, mesmo que muitas vezes não saibamos disso.

Mudar a história apenas para agradar um grupo não dá certo.

Primeiro que não tem como agradar todo mundo. Sempre, eu disse sempre, vai existir alguém que não ficará satisfeito. 

Segundo que quanto mais você tentar agradar, mais infeliz e pior a história ficará.


Só escrevemos bem quando sentimos prazer. E todo mundo sabe, ou deveria saber, que prazer é diferente de obrigação.

Quando nos sentimos obrigados a agradar um grupo, perdemos nossa originalidade e a criatividade. Passamos a ser escravos e a história desanda.

Isso serve para você que gosta de histórias mais sombrias, mas teme que sem um romance sua história afundará.

Você que anda pensando se coloca coisas sobrenaturais porque está na moda. E você que acha que deveria colocar mais aventura e ação, já que histórias "monótonas" não conquistam ninguém.

Deixa eu contar uma coisa pra vocês: opinião e moda muda de uma hora para outra. Não é algo permanente, inalterável. Moda vem e volta. As vezes nem volta. Opinião muda assim como o dia se transforma na noite.

Depende da opinião, ou melhor, sugestão dos outros é pedir por fracasso. O mesmo se deve para a moda.

O ato de escrever é puro. É uma extensão de você. O jeito como você escreve, como pensa em cada palavra minuciosamente, como escolhe entre dois caminhos. Tudo isso é uma extensão de quem você é. O seu jeito está carimbado na sua história, seja nas entrelinhas ou não.

Cada palavra, cada característica é um pedaço seu. Uma parte de você.

Escrever é algo divino e simples. Não existe fórmula. Não existe jeito certo ou errado. Apenas existe.

Forçar algo que não é seu, que não faz parte de você, não te levará à nada. Apenas te deixará infeliz, já que não está fazendo o que quer.

Por isso, se em algum momento se sentir dividido em escrever para você ou para os outros, escolha você. 

Você é o leitor mais exigente. Tem que se agradar. Assim, fica fácil agradar os outros.

Quando você sente prazer no que faz, quando se sente bem, tudo flui melhor. A história anda pelo caminho certo e tudo fica bem.

E se por acaso sentir que não está agradando, não se pressione. A história é sua. É você quem tem que gostar dela.



Nenhum comentário:

Postar um comentário