segunda-feira, 23 de maio de 2016

Resenha - Dezesseis Luas



Ok, eu sei que muita gente torceu o nariz no momento que viu esse título. Vocês tem todo o direito, julgando por como foi o filme. Mas ai que vai uma novidade: o filme não tem nada a ver com o livro!
Não acredita? Olha isso então:

"Uma hora passava mais rápido e ao mesmo tempo mais devagar. Eu sentia como se tivesse sugado o ar de um balão gigante, como se meu cérebro não estivesse recebendo oxigênio suficiente."

Querem mais provas?Então ai vai a resenha de hoje!


Ethan Wate, é um estudante de colegial que fica enfeitiçado por Lena Duchannes, aluna nova, de 16 anos, que acaba de chegar de outro estado - e com quem ele estranhamente tinha pesadelos há meses. Os dois se unem para enfrentar uma maldição sobrenatural que persegue a família dela há gerações: sempre que uma Duchannes completa 16 anos, ela deve escolher se será para a vida toda uma feiticeira do Bem ou do Mal.

Dezesseis Luas foi escrito por duas escritora ma-ra-vil-ho-sas: Kami Garcia e Margaret Stohl. Foi lançado em 2009, mas só chegou aqui em 2010. E ainda bem que chegou, pois este livro se tornou um dos melhores livros que já li e está no meu Top10.

A história é narrada do ponto de vista de Ethan Wate, um adolescente de uma cidade pequena do interior e que vinha tendo sonhos estranhos há meses... Sonhos estes em que Luna Duchannes, uma garota que ele nunca havia visto antes, protagoniza.

De início, Ethan acredita se tratar de apenas sonhos. Embora todas as vezes ele acorde com terra entre seus dedos e em sua cama, semelhante a lama que havia em seu sonho. E todas as vezes ele consegue sentir o cheiro dela, mesmo depois de ter acordado. Limão e alecrim.

Mas é claro que não eram simples sonhos.

Lena existia. E mais do que isso, ela era a aluna nova da escola.

Numa cidade onde todos conhecem todo mundo e que os padrões já foram estabelecidos mesmo antes de você nascer, fica um pouco difícil ser a garota nova. Mas experimente ser também a sobrinha do velho Ravenwood, o recluso da cidade. Experimente também ter cabelos pretos e pele pálida, quando todas são loiras e bronzeadas; usar roupas largas e escuras, quando a moda é usar roupas rosa-choque e curtas.

"Então ela é automaticamente esquisita, e por que? Porque ela não está de uniforme, cabelo louro e saia curta?"

Experimente ser uma conjuradora. Vai ver que no instante em que pisar na escola, todos já terão formulado opiniões sobre você. E elas não são nada boas... Ah, se eles soubessem o quão perto estão da verdade.

Conjuradores, para os leigos, são seres místicos que nós, tolos humanos, apelidamos de bruxas. Mas não se engane. Como tudo na vida, há aqueles que são da Luz e da Trevas. Todos os conjuradores, ao completarem 16 anos, escolhem se serão da Luz ou da Trevas. Mas como disse Ethan...

"Como alguém pode saber quem é e quem quer ser para o resto da vida com 16 anos?"

Pois, é Ethan.

Mas como muita complicação ainda é pouco, a história não é tão simples assim. Como dizia a minha vó, o buraco é mais em baixo.

Na família de Lena, ao se completar 16 anos eles são sim convocados, mas não são eles que decidem para que lado irão. Nada disso. Quando a décima-sexta lua se ergue, eles são convocados e só ai descobrem, não só o seu destino, como também seus verdadeiros nomes.

Lena tinha 15 anos. Ethan, 16. Ela era uma conjuradora. Ele, um humano. Ela era poderosa. Ele, um mero mortal.

Para tudo, tia Mila! Você ainda não explicou porque ele sonhava com ela!

Ah, não? Então vou explicar agora.

Os sonhos na verdade eram presságios do que ainda viriam. Mas Ethan, curiosamente, nunca se lembrava do final...

O que não o impediu dese apaixonar por Lena. Digamos que seja paixão antes da primeira vista.

Ethan e Lena são predestinados. Por um momento até tentam se afastar, ela mais do que ele, mas o vinculo que há entre eles era mais forte e foi inevitável o que aconteceu...

Eles se apaixonaram, mas isso não significava que todos os problemas estavam resolvidos. Pelo contrário, estava apenas começando.

O livro conta a história de forma informal, coerente com o fato de um adolescente estar narrando. Os personagens evoluem conforme o tempo vai passando e vamos conhecendo melhor cada um deles. Há "vilões" que não são vilões. Há mocinhos que apenas fingem ser mocinhos. E há o vilão que você nem imaginava que fosse, e que se revela ser o mais terrível de todo.

Com uma leitura leve, envolvente e romântica na medida certa, Dezesseis Luas vai se tornar facilmente um dos seus preferidos e mudar todo o seu conceito sobre bruxaria. Quer descobrir como o filme tinha tudo pra ser um sucesso e eles acabaram cagando estragando tudo? Leia Dezesseis Luas.

Obs: Sobre a Amma que vocês conheceram no filme... não era ela! Eles simplesmente pegaram a Amma (mãe-postiça do Ethan e totalmente contra a seu namoro) e juntaram com a Mariah (bibliotecária e amiga da família que ajudou no namoro de Ethan) numa personagem só. Dava pra errar mais? Dava. Você vai ver no filme.



Nenhum comentário:

Postar um comentário